Nova York aprova lei para restringir posse de armas

Tanto democratas como republicanos votaram a favor da lei que limita em sete o número de balas em cada cartucho no Estado, após ataque na escola de Newtown, em Connecticut, que matou 26 crianças e seis adultos

Nova York aprova lei para restringir posse de armas
Nova York aprova lei para restringir posse de armas
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Agência Brasil (BBC Brasil) - O estado de Nova York aprovou o que é atualmente uma das leis mais rígidas para regular a posse de armas de fogo e munição nos Estados Unidos e o primeiro estado a restringir tal acesso desde o ataque na escola de Newtown, em Connecticut, quando um atirador matou 26 crianças e seis adultos.

Tanto democratas como republicanos votaram a favor da lei que limita em sete o número de balas em cada cartucho.

Além disso, a legislação limita o acesso a rifles de ataque e introduz checagens mais severas para evitar que pessoas com problemas mentais adquiram armamentos.

Ao sancionar a lei, o governador do estado, Andrew Cuomo, disse que o "bom-senso pode vencer".
Para os críticos, que esperavam medidas ainda mais rígidas, a legislação não contempla de forma suficientemente severa as armas menores, como revólveres e pistolas.

A NRA, associação americana de fabricantes de armas, classificou as regras como "draconianas" e descartou impacto sobre a segurança pública.

As novas regras foram aprovadas um dia antes de o presidente Barack Obama revelar as propostas de lei que a Casa Branca passa a defender. Estima-se que o pacote de medidas sofra forte oposição no Congresso.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email