ONU pede à Rússia e aos EUA para salvarem Síria "do colapso total"

"Faço um apelo à Rússia e aos Estados Unidos para tomarem a iniciativa urgente de relançar a trégua, que neste momento está em perigo", afirmou o mediador das Nações Unidas nas negociações de paz na Síria, Staffan de Mistura

Pessoas em rua destruída por ataques aéreos, na cidade de Arbeen, Síria. 27/05/2015 REUTERS/Yousef Homs
Pessoas em rua destruída por ataques aéreos, na cidade de Arbeen, Síria. 27/05/2015 REUTERS/Yousef Homs (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Da Agência Lusa

O mediador das Nações Unidas nas negociações de paz na Síria, Staffan de Mistura, pediu hoje (28) à Rússia e aos Estados Unidos para unirem esforços e salvarem do "colapso total".a trégua acordada no país.

"Faço um apelo à Rússia e aos Estados Unidos para tomarem a iniciativa urgente de relançar a trégua, que neste momento está em perigo", afirmou, numa entrevista, após ter informado o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre o resultado da terceira ronda de negociações de paz na Síria, que terminou na quarta-feira.

Staffan de Mistura disse que, para ser convocada nova rodada de consultas, é preciso que "o cessar das hostilidades na Síria volte aos níveis de fevereiro e março".

Segundo revelou, após a entrada em vigor da trégua, no dia 27 de fevereiro, o número de mortes em combates na Síria caiu para nove a dez por dia, mas "nas últimas 48 horas, é assassinado um sírio a cada 25 minutos".

"Esta rodada [de negociações] foi afetada por uma deterioração substancial e preocupante do cessar das hostilidades, não podemos ignorar o fato de que, durante estas conversações, houve incidentes atrás de incidentes", acrescentou.

Staffan de Mistura disse que poucas horas antes, no bombardeio aéreo de um hospital a leste de Alepo, provavelmente morreu o último pediatra que havia naquela zona, num ataque que se soma a outros perpetrados nos últimos dias perto de Damasco e Idleb.

O representante da ONU acrescentou que só anunciará uma data para a nova ronda de negociações quando a situação de segurança melhorar na Síria.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247