Papa lamenta naufrágios no Mediterrâneo e faz apelo à comunidade internacional

O papa Francisco disse neste domingo (28), durante o Angelus no Vaticano, que recebeu "com dor" a notícia dos naufrágios da última quinta-feira na costa da Líbia, que podem ter matado mais de 150 pessoas

(Foto: REUTERS/Max Rossi)

Ansa - O papa Francisco disse hoje durante o Angelus no Vaticano, que recebeu "com dor" a notícia dos naufrágios da última quinta-feira na costa da Líbia, que podem ter matado mais de 150 pessoas. Na ocasião, dois barcos de migrantes afundaram no litoral de Khoms, 120 quilômetros a leste de Trípoli. 

As embarcações levavam cerca de 300 indivíduos, de acordo com relatos dos sobreviventes, mas apenas 137 foram resgatados com vida.

"Recebi com dor a notícia do dramático naufrágio ocorrido nas águas do Mediterrâneo, no qual perderam a vida dezenas de migrantes, incluindo mulheres e crianças. Renovo um sincero apelo para que a comunidade internacional aja com prontidão e decisão, para evitar a repetição de tragédias como essa e garantir a segurança e dignidade de todos", disse Francisco.

A Líbia é um dos principais pontos de partida para migrantes forçados e refugiados que tentam chegar à Europa, já que os traficantes de seres humanos se aproveitam da fragmentação do país entre milícias para lançar as "viagens da morte" no Mediterrâneo.

Com apoio da União Europeia, a Itália treinou e equipou a Guarda Costeira da Líbia, que passou a fazer resgates no mar. Com isso, migrantes tirados do Mediterrâneo são levados de volta ao país africano, onde há inúmeras denúncias de violação dos direitos humanos dessas pessoas.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247