Patriota: Detenção de brasileiro não é justificável

Ministro das Relações Exteriores disse que vai conversar ainda hoje com o chanceler britânico, William Hague, sobre a detenção de David Miranda, por nove horas, no aeroporto de Heathrow, em Londres; "Espero que não volte a acontecer", disse Antonio Patriota, que criticou "desmandos e desvios" que vêm sendo cometidos em nome do combate ao terrorismo no mundo

Ministro das Relações Exteriores disse que vai conversar ainda hoje com o chanceler britânico, William Hague, sobre a detenção de David Miranda, por nove horas, no aeroporto de Heathrow, em Londres; "Espero que não volte a acontecer", disse Antonio Patriota, que criticou "desmandos e desvios" que vêm sendo cometidos em nome do combate ao terrorismo no mundo
Ministro das Relações Exteriores disse que vai conversar ainda hoje com o chanceler britânico, William Hague, sobre a detenção de David Miranda, por nove horas, no aeroporto de Heathrow, em Londres; "Espero que não volte a acontecer", disse Antonio Patriota, que criticou "desmandos e desvios" que vêm sendo cometidos em nome do combate ao terrorismo no mundo (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Vitor Abdala
Repórter da Agência Brasil

Rio de Janeiro – O ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, disse que vai conversar ainda hoje (19) com o chanceler britânico, William Hague, sobre a detenção do cidadão brasileiro David Miranda, por nove horas, no aeroporto de Heathrow, em Londres ontem (18). Miranda é companheiro do jornalista do diário inglês The Guardian, Glenn Greenwald, que noticiou sobre o esquema de espionagem do governo norte-americano.

O ministro disse que a detenção do brasileiro por nove horas, com base em uma lei que se aplica a suspeitos de terrorismo, não é justificável. "Espero que não volte a acontecer. Hoje mesmo deverei conversar com o chanceler William Hague, do Reino Unido", disse.

Antes de conversar com a imprensa, Patriota havia criticado "desmandos e desvios" que vêm sendo cometidos em nome do combate ao terrorismo no mundo, durante discurso em cerimônia de homenagem a Sérgio Vieira de Mello, diplomata brasileiro que morreu há dez anos no Iraque, Patriota disse que o combate ao terror deve respeitar o direito internacional.

Segundo Patriota, há vários exemplos de desmandos cometidos em nome do combate ao terrorismo, entre eles "enquadrar pessoas mesmo sem justificativa alguma para que se haja suspeita de envolvimento com o terrorismo".

"Continuamos a assistir alguns desmandos e desvios nessa questão do combate ao terrorismo. Reconhecemos que é um combate legítimo, que precisa ser articulado de forma a impedir que vidas inocentes sucumbam a atos de violência gratuita, mas também precisa se inspirar nos ideais de multilateralismo, direito internacional e racionalidade", disse Patriota.

Em discurso, o chanceler brasileiro criticou o uso indiscriminado de tecnologias militares, como os veículos aéreos não tripulados, que causam mortes de civis. "A comunidade internacional assiste, com certa surpresa, às vezes, a atividade de veículos não tripulados que estão a serviço do combate ao terrorismo, mas também provocam um número elevadíssimo de vítimas civis inocentes, sem que haja um debate sistemático sobre isso", disse.

Patriota aproveitou para defender a reforma do Conselho de Segurança das Nações Unidas, dizendo que a atual composição do conselho não está em "consonância" com a multilateralidade do mundo moderno.

Edição: Denise Griesinger

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email