Pompeo vai à América do Sul pressionar por derrubada de Maduro

O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, faz esta semana uma viagem por quatro países da América do Sul com o objetivo de consolidar um bloco de pressão contra o presidente venezuelano, Nicolás Maduro; a viagem, que acontece de 11 a 15 de abril, levará Pompeo ao Chile, ao Paraguai, ao Peru e, para concluir, à localidade colombiana de Cúcuta, na fronteira com a Venezuela

Pompeo vai à América do Sul pressionar por derrubada de Maduro
Pompeo vai à América do Sul pressionar por derrubada de Maduro

247 - O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, faz esta semana uma viagem por quatro países da América do Sul com o objetivo de consolidar um bloco de pressão contra o presidente venezuelano, Nicolás Maduro.

A viagem, que acontece de 11 a 15 de abril, levará Pompeo ao Chile, ao Paraguai, ao Peru e, para concluir, à localidade colombiana de Cúcuta, na fronteira com a Venezuela.

Desde 23 de janeiro, quando o líder de oposição Juan Guaidó se proclamou presidente interino, Washington aumentou a pressão econômica e diplomática sobre Maduro.

"Os Estados Unidos vão continuar usando toda a força da pressão diplomática e econômica para abrir caminho para uma transição diplomática inclusiva", disse um alto funcionário do Departamento de Estado.

Washington já impôs medidas punitivas contra mais de 80 funcionários e ex-funcionários da Venezuela, incluindo Maduro, e quase 40 entidades. Além disso, aplicou, no final de janeiro, sanções à PDVSA que funcionarão, na verdade, como um embargo ao petróleo venezuelano, quando começarem a entrar em vigor em 28 de abril.

Os quatro países escolhidos para o roteiro de Pompeo são membros do Grupo de Lima, formado por vários países do continente e que declarou ilegítimo o novo mandato de Maduro iniciado em 10 de janeiro.

"O secretário de Estado visitará quatro países com visões afins", disse um diplomata americano.

Um funcionário do Departamento de Estado afirmou que uma das principais abordagens para tratar a crise da Venezuela está em expandir a capacidade de Guaidó para se estabelecer nas instituições multilaterais.

Na sexta, Pompeo se reunirá em Santiago com o presidente Sebastián Piñera e com o ministro chileno das Relações Exteriores, Roberto Ampuero.

Pompeo vai tentar conseguir mais apoio e intensificar a pressão, principalmente através da cooperação regional econômica e de sanções financeiras", disse à AFP o diretor do think tank Inter-American Dialogue, Michael Shifter.

Em Assunção, Pompeo se reunirá no sábado com o presidente paraguaio, Abdo Benítez, e seu chanceler, Luis Castiglioni. A agenda se concentrará em "reforçar" os vínculos para combater o crime transnacional e a corrupção, fortalecer os laços econômicos e apoiar a democracia na Venezuela.

Nesse mesmo dia, segue para Lima para um encontro com o presidente peruano, Martín Vizcarra.

Com informações da AFP

Ao vivo na TV 247 Youtube 247