Premiê da Armênia nega que ações militares de seu exército foram interrompidas após assinatura de acordo com o Azerbaijão

A declaração contradiz a do Ministério da Defesa da Armênia, que diz que “as ações militares foram interrompidas em toda a linha de frente”

(Foto: Sputnik)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik - O premiê da Armênia, Nikol Pashinyan, afirmou que ações militares persistem na disputada região de Nagorno-Karabakh após assinatura de cessar-fogo.

“As ações militares em Nagorno-Karabakh não foram completamente interrompidas, [mas] nós esperamos que sejam interrompidas” afirmou o primeiro-ministro da Armênia, Nikol Pashinyan, em discurso por vídeo aos cidadãos armênios. Já a porta-voz do Ministério da Defesa armênio, Shushan Stepanyan, confirmou a cessação de todas as atividades militares na linha de frente na região disputada.

“Ações militares foram interrompidas em toda a linha de frente. A partir das 06h00 [23h00 da segunda-feira (9), no horário de Brasília] se mantém relativa calma. O contingente de pacificadores russos continua sendo destacado em Nagorno-Karabakh”, escreveu Shushan em sua página no Facebook.

Anteriormente, os líderes da Rússia, Armênia e Azerbaijão anunciaram conjuntamente o fim das atividades militares em Nagorno-Karabakh. Segundo o acordo alcançado, o cessar-fogo completo teria início nesta terça-feira (10).

As Forças Armadas da Armênia e do Azerbaijão manteriam suas posições atuais no território, e realizariam trocas de prisioneiros de ambos os lados do conflito.

Segundo o cessar-fogo acordado entre as partes conflituosas, com mediação da Rússia, é esperado que pacificadores russos sejam posicionados em Nagorno-Karabakh.

Enquanto Pashinyan classificou este acordo como uma difícil decisão, Ilham Aliev, presidente do Azerbaijão, considerou que o documento assinado equivale à uma capitulação da Armênia. Segundo o mandatário azeri, as condições do acordo são altamente vantajosas para Baku, portanto uma vez que a etapa militar tenha sido finalizada, questões políticas podem ser apresentadas.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247