Procuradoria de Angola fecha templos da Igreja Universal em Luanda e outras duas cidades

O fechamento é resultado de uma investigação iniciada no final de 2019 que apura crimes como discriminação racial, imposição de vasectomia, além de evasão de divisas e lavagem de dinheiro

Igreja Universal do Reino de Deus em São José do Rio Preto
Igreja Universal do Reino de Deus em São José do Rio Preto (Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Igreja Universal do Reino de Deus, de Edir Macedo, sofreu novo revés em Angola. c

Uma investigação iniciada no final de 2019 apura se a igreja cometeu irregularidades, que vão desde discriminação racial e imposição de vasectomia a evasão de divisas e lavagem de dinheiro.

Os templos interditados ficarão sob o comando do Instituto Nacional dos Assuntos Religiosos (INAR), vinculado ao Ministério da Cultura, até que seja tomada alguma decisão judicial.

Em julho, o Diário da República de Angola, órgão oficial do país africano, confirmou a dissolução da diretoria da Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd) e a destituição do bispo brasileiro Honorilton Gonçalves de sua cúpula. O grupo pró-Macedo reagiu dizendo que o documento “não tem validade nem legalidade”.

Aliado de Edir Macedo, Bolsonaro entrou na disputa e enviou carta ao presidente de Angola, João Manuel Lourenço, manifestando “preocupação” com os “recentes episódios” e pedindo uma proteção maior aos membros brasileiros da igreja, “a fim de garantir sua integridade física material e a restituição de propriedades e moradias”. 

O governo angolano, por sua vez, manteve as investigações e argumentou que a questão não é de ordem política, mas jurídica.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247