Putin diz estar preocupado com a corrida armamentista dos EUA

O presidente russo exortou Washington a reduzir a corrida armamentista, mas disse que não recebeu uma resposta dos EUA

(Foto: REUTERS/Sergei Chirikov/Pool)

Telesur - O presidente russo, Vladimir Putin, expressou na quinta-feira (5) preocupação com a corrida armamentista conduzida pelos Estados Unidos (EUA) desde sua saída do acordo sobre mísseis de curto e médio alcance. 

Desde o fórum econômico na cidade russa de Vladivostok, o presidente russo instou Washington a reduzir a corrida armamentista, mas disse que não recebeu uma resposta dos EUA.  

Putin informou que seu país produziria mísseis de curto e médio alcance, mas que Moscou não os empregaria a menos que os EUA o faça primeiro.   Ele também expressou preocupação com a intenção dos EUA de implantar mísseis no Japão e na Coréia do Sul. 

Segundo Putin, sendo lançados desses países, os foguetes cobririam partes do território russo.  “Não estamos felizes com o fato de o chefe do Pentágono ter dito que os Estados Unidos estão tentando implantá-los no Japão e na Coreia do Sul. Isso nos entristece e é motivo de preocupação”, afirmou. 

Tensões entre a Rússia e os EUA sobre o controle de armas nucleares aumentaram depois que Washington se retirou formalmente no mês passado do Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF), acusando Moscou de violá-lo, algo que o governo russo nega.  

Em agosto passado, os Estados Unidos testaram um míssil de cruzeiro convencionalmente configurado que atingiu uma meta a mais de 500 quilômetros de distância, algo que foi proibido pelo tratado INF.   Putin disse que ofereceu a seu colega americano a oportunidade de comprar uma das armas nucleares hipersônicas que Moscou desenvolve. 

Ele alegou que Trump rejeitou a oferta e respondeu que Washington fez a sua.  O presidente russo disse temer que uma corrida armamentista se expanda para o espaço e que Washington possa desenvolver uma nova arma espacial.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247