Putin oferece ajuda para aliviar as tensões no Golfo Pérsico

Antes de iniciar visita à Arábia Saudita, o presidente russo assegurou em entrevista neste domingo que pode ajudar a amenizar os conflitos na região do Golfo Pérsico

Vladimir Putin
Vladimir Putin (Foto: Sputnik)

Reuters - A Rússia pode desempenhar um papel positivo na redução das tensões no Golfo após uma série de ataques na região, disse o presidente Vladimir Putin em comentários publicados neste domingo (13) antes de sua primeira visita à Arábia Saudita em mais de uma década. 

Ele citou as boas relações russas com os países árabes do Golfo e com o Irã em entrevista às emissoras árabes, mas disse que não tinha informações confiáveis ​​sobre quem estava por trás dos ataques às instalações petrolíferas sauditas em 14 de setembro, o que provocou tensão e abalou os mercados de petróleo.  "

É errado determinar quem é o culpado antes que se saiba de maneira clara e confiável quem está por trás desse ato", disse Putin, acrescentando que concordou em ajudar na investigação.  

Putin deve chegar à Arábia Saudita na segunda-feira e conversará com o rei Salman e o príncipe Mohammed bin Salman antes de partir para os Emirados Árabes Unidos na terça-feira. ]

A Rússia e a Arábia Saudita são dois dos maiores produtores de petróleo do mundo.  As tensões no Golfo aumentaram para novos patamares desde maio de 2018, quando os Estados Unidos se retiraram de um acordo nuclear internacional de 2015 com Teerã, que impôs limites ao seu programa nuclear em troca do alívio das sanções.  

O presidente Donald Trump restabeleceu as sanções dos EUA, aumentando a pressão sobre a economia do Irã, e houve ataques à Arábia Saudita e às águas do Golfo que Washington e aliados próximos atribuíram ao Irã. Teerã nega responsabilidade.  

Putin disse que esses ataques reforçaram a cooperação entre os produtores de petróleo dentro e fora da OPEP, uma aliança conhecida como OPEP +, e que a Rússia - que não está na OPEP - trabalharia com seus parceiros para reduzir as tentativas de desestabilizar os mercados.  

O ministro de Estado das Relações Exteriores da Arábia Saudita, Adel al-Jubeir, disse em entrevista à imprensa que Riad não estava por trás de uma suposta greve contra um petroleiro de propriedade iraniana no Mar Vermelho na sexta-feira.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247