Reino Unido não dará as costas à UE, diz Cameron

Em seu primeiro pronunciamento britânico depois da decisão da maioria da população do Reino Unido de deixar a União Europeia, o primeiro-ministro David Cameron defendeu que a Grã Bretanha não deve dar as costas à Europa nem ao resto do mundo; "O Reino Unido está disposto a abandonar a União Europeia, mas não devemos dar as costas à Europa nem ao resto do mundo", afirmou; Cameron foi enfático sobre o resultado do decisão; "Não pode haver dúvidas sobre o resultado. Estou certo, e o gabinete concordou nesta manhã, que a decisão precisa ser aceita"

Em seu primeiro pronunciamento britânico depois da decisão da maioria da população do Reino Unido de deixar a União Europeia, o primeiro-ministro David Cameron defendeu que a Grã Bretanha não deve dar as costas à Europa nem ao resto do mundo; "O Reino Unido está disposto a abandonar a União Europeia, mas não devemos dar as costas à Europa nem ao resto do mundo", afirmou; Cameron foi enfático sobre o resultado do decisão; "Não pode haver dúvidas sobre o resultado. Estou certo, e o gabinete concordou nesta manhã, que a decisão precisa ser aceita"
Em seu primeiro pronunciamento britânico depois da decisão da maioria da população do Reino Unido de deixar a União Europeia, o primeiro-ministro David Cameron defendeu que a Grã Bretanha não deve dar as costas à Europa nem ao resto do mundo; "O Reino Unido está disposto a abandonar a União Europeia, mas não devemos dar as costas à Europa nem ao resto do mundo", afirmou; Cameron foi enfático sobre o resultado do decisão; "Não pode haver dúvidas sobre o resultado. Estou certo, e o gabinete concordou nesta manhã, que a decisão precisa ser aceita" (Foto: Aquiles Lins)

247 - Em seu primeiro pronunciamento britânico depois da decisão da maioria da população do Reino Unido de deixar a União Europeia, o primeiro-ministro David Cameron defendeu que a Grã Bretanha não deve dar as costas à Europa nem ao resto do mundo.

"O Reino Unido está disposto a abandonar a União Europeia, mas não devemos dar as costas à Europa nem ao resto do mundo", afirmou Cameron. ele destacou ser necessário no momento fixar que "tipo de relação queremos com a UE". "Não retiro nada que tenha dito há dias. Vai ser difícil", explicou Cameron, que convocou o referendo e fez campanha pela permanência na UE, o que o levou a pedir demissão ante a derrota.

Quanto às contestações sobre o referendo, Cameron foi enfático. "Não pode haver dúvidas sobre o resultado. Estou certo, e o gabinete concordou nesta manhã, que a decisão precisa ser aceita", disse Cameron ao Parlamento, segundo a Reuters.

O sucessor de Cameron na chefia do Partido Conservador e do governo britânico, por sua vez, deverá ser conhecido no mais tardar em 2 de setembro, conforme anunciou o partido.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247