Republicanos dos EUA apresentam pacote contra pandemia e reduzem auxílio de desempregados

Plano de US$ 1 trilhão apresentado pelos republicanos prevê a redução dos benefícios suplementares para desempregados, que se somam aos pagamentos de auxílio-desemprego e vencem na sexta-feira, de US$ 600 para US$ 200

O líder da maioria no Senado, Mitch McConnell, em Washington
O líder da maioria no Senado, Mitch McConnell, em Washington (Foto: REUTERS/Jonathan Ernst)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Reuters - Senadores republicanos dos Estados Unidos propuseram na segunda-feira um pacote de um trilhão de dólares para o combate ao coronavírus que foi acertado com a Casa Branca, encaminhando conversas com os democratas sobre a maneira de ajudar os norte-americanos tendo em vista que os benefícios ampliados para milhões de desempregados terminam nesta semana.

O líder da maioria no Senado, Mitch McConnell, classificou a proposta como um plano “medido e calibrado” que visa levar as crianças de volta à escola e os empregados de volta ao trabalho e proteger as empresas de ações civis, ao mesmo tempo em que corta em dois terços os benefícios suplementares de 600 dólares por semana para desempregados prestes a vencer.

O plano causou a rejeição imediata de democratas e republicanos. Os democratas o criticaram por ser muito limitado quando comparado à sua proposta de 3 trilhões de dólares, aprovada pela Câmara dos Deputados em maio, e os republicanos o consideraram caro demais.

McConnell disse que o pacote incluirá pagamentos diretos de 1.200 dólares aos norte-americanos, além de incentivos para a fabricação de equipamentos de proteção pessoal nos EUA, e não na China.

Ele também inclui 190 bilhões de dólares de empréstimos para pequenas empresas e 100 bilhões de dólares para empréstimos a negócios sazonais ou áreas de baixa renda.

Os republicanos querem diminuir os benefícios suplementares para desempregados, que se somam aos pagamentos de auxílio-desemprego e vencem na sexta-feira, de 600 para 200 dólares, mantendo os auxílio-desemprego estaduais.

Depois de dois meses, os Estados adotariam uma nova fórmula que substituiria cerca de 70% dos salários perdidos.

Os benefícios suplementares têm sido uma tábua de salvação financeira para empregados demitidos e um apoio essencial para o consumo. Os fundos adicionais – que ultrapassam os salários antigos de alguns trabalhadores – têm incomodado muitos republicanos, que alegam que eles incentivam as pessoas a ficar em casa, ao invés de voltar ao trabalho.

Já os democratas criticam a demora dos republicanos para elaborar mais leis no momento conforme o número confirmado de casos de coronavírus no país rompe a marca de 4 milhões. A pandemia já matou quase 150 mil pessoas nos EUA.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247