Rússia diz que Otan quer voltar ao confronto dos tempos da Guerra Fria

A Rússia não está buscando uma nova corrida armamentista, mas é forçada a melhorar suas capacidades de combate em resposta às ações hostis da Aliança Atlântica, disse o ministro da Defesa, Sergei Shoigu

Ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu 
Ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu  (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, declarou neste sábado (5) que a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) pretende "voltar ao confronto da era da Guerra Fria", depois de lembrar que a Aliança Atlântica está desenvolvendo infraestrutura militar e continua a implantar um sistema de defesa antimísseis na Europa Oriental.
Em declarações a jornalistas no final dos Jogos Militares do Exército 2020, Shoigu explicou que a Rússia "segue uma política independente, participa ativamente na resolução de problemas globais", enquanto "atua como mediador na resolução de conflitos", informa a RT.

Tudo isso - frisou o ministro - “é visto pelo Ocidente como um desafio à sua liderança, como uma tentativa de destruir a ordem mundial unipolar formada após o colapso da URSS”.

De acordo com Shoigu, a atividade dos aviões de reconhecimento da Otan perto das fronteiras da Rússia aumentou mais de 30% em comparação com o ano passado.

O ministro explicou ainda que seu país se ofereceu à Otan para reduzir o número de exercícios militares durante a pandemia do coronavírus para evitar maiores complicações nas relações, mas que a Otan considerou "negativamente" a ideia de Moscou. 

Ao mesmo tempo, Shoigu denunciou que "uma campanha de propaganda em grande escala" foi lançada na mídia ocidental contra a Rússia para convencer a comunidade mundial "da alegada agressividade da política externa e militar da Rússia".

O ministro garantiu que a Rússia não busca uma nova corrida armamentista, mas que se vê obrigada a melhorar suas capacidades de combate em resposta às "ações hostis" da Aliança Atlântica, "para garantir a segurança e proteger os interesses nacionais".

“Todas as medidas tomadas visam unicamente ao fortalecimento da defesa, são de escala limitada e correspondem aos perigos militares modernos”, frisou Shoigu.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email