Rússia volta a rechaçar intervenção militar na Venezuela

A Rússia reiterou nesta quinta-feira (28) sua rejeição a uma intervenção militar contra a Venezuela e expressou a disposição a aumentar seu papel mediador na solução exclusivamente pela via diplomática da crise política no país sul-americano; "Neste momentos nós apoiamos o Mecanismo de Montevidéu, desde que tenha uma aceitação pela Venezuela destes esforços mediadores", declarou a porta-voz da chancelaria russa, María Zahárova, respondendo uma pergunta da Prensa Latina

Rússia volta a rechaçar intervenção militar na Venezuela
Rússia volta a rechaçar intervenção militar na Venezuela

247, com Prensa Latina - A Rússia reiterou nesta quinta-feira (28) sua rejeição a uma intervenção militar contra a Venezuela e expressou a disposição a aumentar seu papel mediador na solução exclusivamente pela via diplomática da crise política no país sul-americano.

"Neste momento nós apoiamos o Mecanismo de Montevidéu, desde que tenha uma aceitação pela Venezuela destes esforços mediadores", declarou a porta-voz da chancelaria russa, María Zahárova, respondendo uma pergunta da Prensa Latina.

A porta-voz estimou que tais esforços devem estar dirigidos a procurar uma saída construtiva para a crise, tanto dentro como fora da Venezuela. "Tudo isso, claro está, deve ser baseado na normas do direito internacional e da Carta da ONU", esclareceu.

Para a porta-voz da chancelaria, a Rússia vê, no contexto do apoio ao Mecanismo de Montevidéu, seu papel como país que tem possibilidades de oferecer sua contribuição à solução da crise.

"Se for necessária uma participação maior da Rússia, indubitavelmente vamos analisar essa possibilidade", comentou a porta-voz.

Ao mesmo tempo, Zahárova fez questão de afirmar que a Rússia joga um papel ativo no retorno da situação na Venezuela ao caminho da paz e na defesa do direito internacional neste caso específico.

Moscou realiza também esforços para convencer as partes envolvidas sobre a necessidade de uma saída diplomática como única alternativa possível no contexto de uma decisão de assuntos internos do país sul-americano, explicou a diplomata.

Para ela, é absolutamente inaceitável o uso da força e muitos menos uma intervenção militar na Venezuela.

A porta-voz considerou também necessário criar condições adequadas, em vez de piorar a crise na Venezuela.

Por trás da crise interna da Venezuela estão vários países que contribuem para piorar sua situação interna, disse a porta-voz do Ministério dos Assuntos Exteriores da Rússia.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247