Senador dos EUA cobra hotel por evento com Bolsonaro: convenção do partido nazista?

O senador democrata Brad Hoylman condenou o fato do hotel Marriott sediar um evento que irá homenagear Jair Bolsonaro como “Pessoa do ano”; segundo o parlamentar, a ação dá “plataforma pública para um homofóbico”; "O que vem a seguir, sediar a convenção anual do Partido Nazista Americano? Estou furioso”, declarou o senador, que trava uma batalha para que o hotel cancele o evento em homenagem ao capitão reformado 

Senador dos EUA cobra hotel por evento com Bolsonaro: convenção do partido nazista?
Senador dos EUA cobra hotel por evento com Bolsonaro: convenção do partido nazista?

247 - O senador democrata Brad Hoylman, um dos representantes de Nova York no Congresso estadunidense, condenou o fato do hotel Marriott sediar um evento que irá homenagear Jair Bolsonaro como “Pessoa do Ano”,  prêmio concedido a ele por uma câmara de comércio. Segundo o parlamentar, a ação dá “plataforma pública para um homofóbico”.

O senador usou sua conta no Twitter nesta quarta-feira (1) para rechaçar a postura do hotel; “O hotel Marriott respondeu à minha petição pedindo-lhes para cancelar um evento em homenagem ao homofóbico Jair Bolsonaro como “Homem do Ano”, dizendo que eles recebem grupos de todos os valores. O que vem a seguir, sediar a convenção anual do Partido Nazista Americano? Estou furioso”.

 

Ele ainda afirma que “homofóbicos não merecem uma plataforma pública”. “Eu não posso acreditar que o hotel Marriott quer fornecer uma no meu distrito. É ofensivo para mim como um homem gay, ainda mais com o 50º aniversário do Stonewall se aproximando”, acrescenta o parlamentar.

Petição 

O senador também divulgou em suas redes uma petição pública para que o hotel cancele o evento em homagem ao capitão reformado. "Jair Bolsonaro é um notório homofóbico que certa vez disse que preferia que seu filho morresse do que ser gay. @Marriott quer sediar um evento em homenagem a ele como Homem do Ano. Isso é inaceitável. Inscreva-se e junte-se a mim dizendo ao Marriott para #CancelBolsonaro", diz um trecho da petição

Duas empresas já desistiram do apoio 

Duas grandes empresas dos Estados Unidos – a companhia aérea Delta Airlines e a firma de tecnolgia Bain & Company – desistiram de patrocinar o evento "Pessoa do Ano". 

"A Delta Airlines retirou o apoio a uma homenagem a Jair Bolsonaro, marcada para 14 de maio em Nova York. Além da companhia aérea, a consultoria Bain & Company também anunciou que não se envolverá com o evento. A solenidade seria sediada no Museu Americano de História Natural de Nova York sediaria, mas o museu desistiu. A premiação de "Pessoa do Ano" para Bolsonaro será promovida pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos", informou o jornalista Guilherme Amado.

Antes disso, o Museu de História Natural e o restaurante Cipriani se negaram a abrir as portas para Bolsonaro, o que fez com que o evento tenha sido deslocado para o Hotel Marriott, que será alvo de protestos até 14 de maio – data do evento - até cancele a cerimônia.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247