Senadores dos EUA criticam Bolsonaro: “caminha na direção errada”

"Acho as tendências extremamente preocupantes naquele país sob sua liderança atual. Quando o presidente chama os protestos no Chile, na Colômbia e em outros países de atos terroristas, ele está se referindo ao que está acontecendo em seu próprio país", disse o senador democrata Ben Cardin

(Foto: Marcos Corrêa/PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Senadores da Comissão de Relações Exteriores do Estado Unidos sabatinaram o indicado por Donald Trump para o cargo de embaixador no Brasil, Todd Chapman. E durante a sessão, não faltaram críticas ao governo brasileiro, classificando a política de direitos humanos de Jair Bolsonaro como “preocupante”, que está “caminhando na direção errada”. A informação é do jornal O Globo.

"Acho as tendências extremamente preocupantes naquele país sob sua liderança atual. Quando o presidente chama os protestos no Chile, na Colômbia e em outros países de atos terroristas, ele está se referindo ao que está acontecendo em seu próprio país, com relação a protestos dentro da lei, em um esforço para mudar os princípios democráticos do Brasil, organizando o jogo em favor do atual governo. Os direitos humanos nesse país estão caminhando na direção errada", disse o senador democrata Ben Cardin.

A senadora democrata Jeanne Shaheen disse que “sob o governo Bolsonaro, houve alegações de que seus comentários aumentaram o comportamento misógino”.

Outro tema destacado durante a sabatina foi Amazônia. Cardin citou a “falta de compromisso” do governo com o meio ambiente, disse que o Brasil já perdeu em área de floresta amazônica o equivalente a 12 vezes o tamanho de Nova York desde agosto e afirmou que o governo americano só recebe “respostas arrogantes” quando tenta se engajar.

"Nós reconhecemos que o Brasil é responsável pelo controle do seu território, mas a floresta Amazônica é um tesouro universal", disse o senador.

O indicado de Trump saiu em defesa do governo brasileiro e afirmou que incêndios na Amazônia são “ocorrências anuais”. Segundo ele, no tempo que morou em Brasília, podia ver a fumaça se aproximando entre agosto e outubro. A declaração de Chapmam revela que ele desconhece a geografia brasileira, já que o bioma em que está localizada a cidade de Brasília é o cerrado, não o amazônico.

O senador democrata Tim Kaine abordou a questão econômica, afirmando que a questão do desmatamento “está um pouco ligada a nós”.

"Os temas de comércio estão levando ao completo abandono das exportações de soja dos Estados Unidos para a China, o que levou a China a procurar outros mercados. Parte do desmatamento na Amazônia foi feito para abrir espaço para cultivar soja à medida que a China olha para o Brasil como exportador de soja", avalia.

A sabatina nos EUA serve para o Legislativo expressar suas prioridades em temas de política externa. O processo fica aberto para perguntas pela internet por mais 48 horas. Depois desse período, os senadores decidirão sobre a aprovação na próxima reunião. Por conta do recesso de fim de ano, resultado da votação na comissão deve ficar para janeiro. Depois de aprovada, a indicação é enviada para o plenário.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247