Trump barra CNN, BBC e NYT em coletiva com porta-voz

Em sua postura mais radical contra a imprensa dos Estados Unidos, Donald Trump impediu nesta sexta-feira 24 que jornalistas de vários veículos de imprensa credenciados pela Casa Branca, como do "New York Times", "Los Angeles Times", CNN, BBC e os site "Politico", "The Hill" e "BuzzFeed" participassem da coletiva do secretário de imprensa do governo; outros veículos que não haviam sido banidos fizeram boicote contra as ações da Casa Branca e decidiram não participar

Em sua postura mais radical contra a imprensa dos Estados Unidos, Donald Trump impediu nesta sexta-feira 24 que jornalistas de vários veículos de imprensa credenciados pela Casa Branca, como do "New York Times", "Los Angeles Times", CNN, BBC e os site "Politico", "The Hill" e "BuzzFeed" participassem da coletiva do secretário de imprensa do governo; outros veículos que não haviam sido banidos fizeram boicote contra as ações da Casa Branca e decidiram não participar
Em sua postura mais radical contra a imprensa dos Estados Unidos, Donald Trump impediu nesta sexta-feira 24 que jornalistas de vários veículos de imprensa credenciados pela Casa Branca, como do "New York Times", "Los Angeles Times", CNN, BBC e os site "Politico", "The Hill" e "BuzzFeed" participassem da coletiva do secretário de imprensa do governo; outros veículos que não haviam sido banidos fizeram boicote contra as ações da Casa Branca e decidiram não participar (Foto: Gisele Federicce)

247 - Em sua postura mais radical contra a imprensa dos Estados Unidos, Donald Trump impediu nesta sexta-feira 24 que jornalistas de vários veículos de imprensa credenciados pela Casa Branca, como do "New York Times", "Los Angeles Times", CNN, BBC e os site "Politico", "The Hill" e "BuzzFeed" participassem da coletiva do secretário de imprensa do governo.

Em resposta contra as sanções, repórteres de outros veículos, que não haviam sido impedidos de entrar, decidiram fazer um boicote. Entre eles estavam funcionários da revista "Time" e da agência Associated Press. A Associação dos Correspondentes da Casa Branca, que representa o grupo em contato com o governo dos Estados Unidos, repreendeu as ações.

A AP afirmou que o público deve ter acesso ao presidente, enquanto a CNN chamou o episódio de "inaceitável sequência" das ações da Casa Branca no embate com a imprensa. Também nesta sexta, Trump fez um discurso duro contra a imprensa do país, cobrando veículos de comunicação para que deixem de usar fontes anônimas.

Conheça a TV 247

Mais de Mundo

Ao vivo na TV 247 Youtube 247