Trump é um "constrangimento", mas impeachment não deve ser apoiado, defende Biden

Para o presidente eleito dos Estados Unidos, cabe apenas ao Congresso instituir um processo de impeachment

Presidente eleito dos EUA, Joe Biden
Presidente eleito dos EUA, Joe Biden (Foto: REUTERS/Mike Segar)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik Brasil - O presidente eleito Joe Biden disse nesta sexta-feira (8) que o presidente Donald Trump não está "apto para o cargo", mas se recusou reiteradamente a endossar os crescentes apelos democratas para tentar destituí-lo pela segunda vez.

Durante uma entrevista coletiva após seu pronunciamento em um evento na cidade de Wilmington, no estado de Delaware, Biden afirmou que um dos principais motivos pelos quais concorreu à presidência foi porque "pensou por muito, muito tempo que o presidente Trump não era capacitado para o cargo".

"Venho dizendo há mais de um ano que ele não está apto para servir", assinalou Biden, que acrescentou que Trump é "um dos presidentes mais incompetentes da história dos Estados Unidos da América."

O presidente eleito, no entanto, se recusou a apoiar os esforços para destituir Trump do cargo e insistiu que o impeachment é uma decisão que cabe ao Congresso. Biden disse que seu foco está no início de seu próprio governo em 20 de janeiro e que suas três principais prioridades são combater a COVID-19, distribuir vacinas de maneira justa e equitativa e recuperar uma economia em dificuldades.

Apesar de se recusar a comentar sobre a eventual destituição do presidente em fim de mandato, Biden admitiu que Trump "excedeu" suas piores expectativas sobre ele. "Ele tem sido um constrangimento", disse o presidente eleito, que comparou o prejuízo causado pelas ações do presidente à reputação dos Estados Unidos no mundo ao de "ditaduras mequetrefes". 

"Se estivéssemos a seis meses [do fim do mandato], deveríamos fazer de tudo para removê-lo do cargo. Um novo pedido de impeachment, uma tentativa de evocar a 25ª Emenda, qualquer coisa [...] No entanto, estou focado agora em assumir o controle no dia 20 e em colocar nossa agenda em andamento o mais rápido possível", frisou Biden.

Nesta sexta-feira (8), circulou pelo Congresso dos EUA o esboço de um pedido de impeachment de Donald Trump elaborado por três congressistas democratas, David Cicilline, Ted Lieu e Jamie Raskin. No documento, os legisladores acusam o presidente de responsabilidade por incitar seus simpatizantes a invadir o Capitólio na última quarta-feira (6), o que resultou em uma grande confusão que terminou com o saldo de cinco mortes e diversos feridos.

Segundo a agência Reuters, os representantes democratas pretendem apresentar o pedido na próxima segunda-feira (11). 

A Casa Branca, por sua vez, afirmou através de seu porta-voz Judd Deere que o impeachment de Trump faltando 12 dias para o término de seu mandato serviria apenas para "dividir ainda mais o país", informou a agência Reuters. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email