Uma semana após Harvey, um milhão de pessoas estão fora de casa no Texas

Uma semana depois da chegada do furacão Harvey ao litoral do Estado norte-americano do Texas, não deve haver trégua nos esforços de resgate nesta sexta-feira, uma vez que grandes áreas continuam submersas depois de um dos desastres naturais mais custosos a atingir os Estados Unidos; tempestade deslocou mais de 1 milhão de pessoas, com ao menos 44 pessoas mortas pelas inundações que paralisaram Houston, fez rios subirem a níveis recordes e interrompeu o fornecimento de água potável para Beaumont, cidade do Texas com cerca de 120 mil habitantes

Moradores usam barcos em uma rodovia alagada pela tempestade tropical Harvey em Houston, no Texas REUTERS/Adrees Latif
Moradores usam barcos em uma rodovia alagada pela tempestade tropical Harvey em Houston, no Texas REUTERS/Adrees Latif (Foto: Aquiles Lins)

PORT ARTHUR, Texas (Reuters) - Uma semana depois da chegada do furacão Harvey ao litoral do Estado norte-americano do Texas, não deve haver trégua nos esforços de resgate nesta sexta-feira, uma vez que grandes áreas continuam submersas depois de um dos desastres naturais mais custosos a atingir os Estados Unidos.

A tempestade deslocou mais de 1 milhão de pessoas, com ao menos 44 pessoas mortas pelas inundações que paralisaram Houston, fez rios subirem a níveis recordes e interrompeu o fornecimento de água potável para Beaumont, cidade do Texas com cerca de 120 mil habitantes.

A Arkema e autoridades de saúde pública alertaram para o risco de mais explosões e incêndios em uma usina química da empresa. Na quinta-feira, explosões abalaram a instalação, situada cerca de 40 quilômetros a leste de Houston e isolada em uma zona de exclusão de 2,4 quilômetros desde que foi inundada.

Cada vez mais preocupado com a presença de poluentes transmitidos pela água, o Serviço Nacional do Clima emitiu alertas de enchente do Arkansas a Ohio nesta sexta-feira, quando os resquícios da tempestade seguiram pelo centro do país.

Segundo previsões, o rio Neches, que flui por Beaumont e nas proximidades de Port Arthur, deve ultrapassar em muito os níveis de alagamento a partir esta sexta-feira. A inundação e a perda de água potável forçaram a retirada de pacientes de um hospital na quinta-feira.

"Beaumont é basicamente uma ilha", disse a prefeita Becky Adams em uma coletiva de imprensa na quinta-feira.

A cidade, localizada cerca de 130 quilômetros ao leste de Houston e em grande parte isolada pelas enchentes, só conseguiu receber um grande suprimento de água potável na quinta-feira, e há planos para se instalar centros de distribuição de água nesta sexta-feira, disseram autoridades municipais.

O Harvey chegou ao território dos EUA no final da sexta-feira passada como o furacão mais poderoso a atingir o Texas em meio século. Ele foi rebaixado para depressão tropical ao seguir terra adentro, provocando uma quantidade de chuva inédita e causando devastação ao longo de mais de 480 quilômetros no setor sudeste do Estado.

A agência Moody's estimou o custo econômico do Harvey no leste do Texas entre 51 bilhões de dólares e 75 bilhões de dólares, o que o coloca entre as tempestades mais custosas da história dos EUA. A maior parte dos danos ocorreu em Houston, polo energético norte-americano cuja área metropolitana tem uma economia comparável à da Argentina.

Ao menos 44 pessoas morreram ou podem ter morrido em seis condados, incluindo dentro e ao redor de Houston, informaram autoridades. Outras 19 continuam desaparecidas.

Cerca de 779 mil texanos foram orientados a deixar suas casas e outros 980 mil fugiram voluntariamente devido ao risco de novas inundações de rios e reservatórios cheios, de acordo com a secretária interina do Departamento de Segurança Interna, Elaine Duke.

Dezenas de milhares de pessoas lotaram centros de acolhimento na região. À medida que as enchentes começaram a recuar em Houston, já na quinta-feira bombeiros iniciaram uma busca casa a casa para resgatar sobreviventes ilhados e recuperar corpos, enquanto alguns moradores voltavam a seus lares para avaliar os estragos.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247