União Europeia nomeia ex-banqueiro para fazer pressão diplomática por renúncia de Maduro

A União Europeia (UE) nomeou nesta terça-feira (28) o ex-banqueiro e diplomata hispano-uruguaio Enrique Iglesias como assessor para os assuntos ligados à crise na Venezuela, como parte de uma intensificação dos esforços diplomáticos a fim de convencer o presidente Nicolás Maduro a renunciar e criar as condições para convocar novas eleições presidenciais

União Europeia nomeia ex-banqueiro para fazer pressão diplomática por renúncia de Maduro
União Europeia nomeia ex-banqueiro para fazer pressão diplomática por renúncia de Maduro
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Reuters - A União Europeia (UE) nomeou nesta terça-feira (28) o ex-banqueiro e diplomata hispano-uruguaio Enrique Iglesias como assessor para os assuntos ligados à crise na Venezuela, como parte de uma intensificação dos esforços diplomáticos a fim de convencer o presidente Nicolás Maduro a renunciar e criar as condições para convocar novas eleições presidenciais.

A UE, que lidera um grupo internacional ao lado de nações sul-americanas, espera que Iglesias possa auxiliar a encontrar um caminho para convencer o presidente Nicolás Maduro a renunciar e permitir que todos os grupos políticos no país possam concorrer em um novo processo eleitoral.

Maduro mantém o controle sobre as instituições estatais da Venezuela, mas a oposição está pressionando para removê-lo em meio ao colapso econômico que gerou uma crise humanitária no país.

Iglesias, ex-ministro das Relações Exteriores do Uruguai e ex-presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento, é visto como detentor de contatos e conhecimento para negociar tanto com Maduro quanto com o líder da oposição, Juan Guaidó, assim como outros grupos políticos.

A partir de encontros com Maduro e Guaidó neste mês, o grupo da UE, que inclui Reino Unido, França e Alemanha, também espera convencer os Estados Unidos a apoiarem um processo diplomático pacífico para sair da crise.

Comentaristas políticos em Washington especularam que o presidente norte-americano, Donald Trump, pode considerar opções militares, à medida que as pressões econômica e diplomática falharam na tentativa de remover Maduro do poder.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247