“A democracia está se dissolvendo e a esquerda não vê”, avalia Rui Costa Pimenta

Em análise política na TV 247, o presidente do PCO afirmou que a democracia está em um processo de dissolução e atestou que a esquerda será soterrada pela queda do paredão do regime. “A esquerda quer sustentar esse paredão que está desabando e vai ser soterrada”, disse. Assista

Presidente do PCO, Rui Costa Pimenta
Presidente do PCO, Rui Costa Pimenta (Foto: Editora 247)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O presidente do PCO, Rui Costa Pimenta, em análise política semanal na TV 247, avaliou que o regime democrático no Brasil está se dissolvendo e que movimentos pró-ditadura se apresentam como alternativa política. Rui também tratou da instabilidade na América do Sul, do apoio da Rede Globo ao governo Bolsonaro e do pedido de cassação de Eduardo Bolsonaro.

Para Rui, a democracia se encontra em processo de dissolução, em meio a um movimento de apoio à ditadura. “Temos que entender que no Brasil nós convivemos hoje com um movimento ativo em favor da ditadura, não é só no Brasil, é em toda a América Latina. A esquerda não vê que o regime está se dissolvendo, não vê que esses setores que apoiam a ditadura estão sentindo e compreendendo a dissolução da democracia e se colocam como alternativa à essa dissolução. A esquerda quer sustentar esse paredão que está desabando e vai ser soterrada”.

Ainda sobre América do Sul, Rui Costa Pimenta afirmou que a situação política caminha para uma guerra civil no continente. “Nós não estamos indo para um grande acordo, estamos indo para uma situação de guerra civil. Nós assinalamos aqui esse problema de que os governos elitistas não estão cedendo, esse é outro sinal de guerra civil”.

Sobre o apoio da Rede Globo e da grande imprensa ao governo de Jair Bolsonaro, Rui afirmou que o setor midiático estará ao lado do governo até que a situação fique insustentável. “Tem também interesses da Globo que fazem com que ela pressione o governo. Finalmente o jornal tem que mostrar para o governo que ele merece ser recompensado economicamente, porque o governo é um dos grande financiadores da imprensa. Eles têm também que mostrar que se o governo se voltar contra eles, terão problemas. Todos os jornais estão dando sustentação ao governo e vão dar sustentação até o momento em que eles chegarem à conclusão de que não tem mais como sustentar esse governo”.

Rui comentou o pedido de cassação do deputado federal e filho de Jair Bolsonaro, Eduardo Bolsonaro, por apologia à ditadura militar quando disse que “ se a esquerda radicalizar a resposta do governo pode ser via um novo AI-5”. Para o presidente do PCO, a esquerda não pode se distrair com as cortinas de fumaça armadas pelo governo. “Tudo bem, se cassarem o Eduardo Bolsonaro é ótimo, mas a gente não pode se dispersar atirando para tudo quanto é lado. Temos que pedir o fim do governo do pai e cai todo o rest junto, é mais econômico inclusive. Eu não acredito que se você cassar o Eduardo Bolsonaro e depois cassar esse ou aquele, tirar um ministro e tirar outro você vai enfraquecer de fato o governo Bolsonaro”.

Inscreva-se na TV 247 e assista à entrevista na íntegra:

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247