Alcolumbre apresenta requerimento para convidar Guedes a explicar fala sobre "crime" por derrubada de veto

Presidente do Senado, Davi Alcolumbre, apresentou requerimento de convite para que o ministro da Economia, Paulo Guedes, explique declaração de que a Casa “cometeu um crime contra o país” quando derrubou o veto de Jair Bolsonaro ao reajuste para servidores públicos

Davi Alcolumbre, presidente do Senado
Davi Alcolumbre, presidente do Senado (Foto: Pedro França/Ag. Senado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Ricardo Brito, Reuters - O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), apresentou requerimento de convite para que o ministro da Economia, Paulo Guedes, explique declaração de que a Casa “cometeu um crime contra o país” ao votar, na quarta-feira, para derrubar o veto do presidente Jair Bolsonaro ao reajuste para servidores públicos.

Guedes disse ainda que o Senado tinha dado um “péssimo sinal” ao permitir que recursos que foram para a crise do novo coronavírus pudessem se transformar em reajustes. Posteriormente, a Câmara dos Deputados votou, na quinta, pela manutenção do veto. Para que um veto presidencial seja derrubado, é preciso que as duas Casas votem neste sentido.

O ministério informou que não vai comentar o pedido de convite.

A declaração de Guedes causou polêmica entre parlamentares, levando até o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), a dizer que ela não ajudava na discussão sobre o veto. Maia foi um dos principais articuladores para a manutenção do veto na Câmara.

O requerimento de Alcolumbre —apresentado na quinta— tem de ser votado em plenário. Por se tratar de convite, regimentalmente Guedes não é obrigado a ir. Houve quem defendesse a convocação do ministro —se isso fosse aprovado, o comparecimento dele seria obrigatório.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247