Aloysio: destino no PSDB depende de Temer

Líder do governo no Senado, tucano Aloysio Nunes afirma que o apoio de seu partido ao governo interino é "consequência lógica" do processo de impeachment de Dilma Rousseff e que só com o sucesso de Temer o PSDB terá chance na disputa presidencial de 2018: "Como toda aliança política, quando chega na hora da eleição é possível que cada um dos partidos busque o seu caminho"

Líder do governo no Senado, tucano Aloysio Nunes afirma que o apoio de seu partido ao governo interino é "consequência lógica" do processo de impeachment de Dilma Rousseff e que só com o sucesso de Temer o PSDB terá chance na disputa presidencial de 2018: "Como toda aliança política, quando chega na hora da eleição é possível que cada um dos partidos busque o seu caminho"
Líder do governo no Senado, tucano Aloysio Nunes afirma que o apoio de seu partido ao governo interino é "consequência lógica" do processo de impeachment de Dilma Rousseff e que só com o sucesso de Temer o PSDB terá chance na disputa presidencial de 2018: "Como toda aliança política, quando chega na hora da eleição é possível que cada um dos partidos busque o seu caminho" (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Para o líder do governo no Senado, tucano Aloysio Nunes, o apoio de seu partido ao governo interino é "consequência lógica" do processo de impeachment de Dilma Rousseff. Em entrevista ao Valor, ele afirma que só com o sucesso de Michel Temer o PSDB terá chance na disputa presidencial de 2018: "Como toda aliança política, quando chega na hora da eleição é possível que cada um dos partidos busque o seu caminho".

Sobre as baixas do Ministério do interino, afirma que o peemedebista está testando as pessoas. Diz que apenas Henrique Meirelles (Fazenda), José Serra (Relações Exteriores), Alexandre de Moraes (Justiça) e Eliseu Padilha (Casa Civil), além dos ministros do Palácio, estão garantidos em seus cargos.

"É claro que Temer está testando as pessoas que foram nomeadas. Os demais, ainda que indicados por partidos políticos, estão sujeitos a teste de desempenho. Temer tem legitimidade que veio da Constituição, mas sua força política crescerá ou não segundo o seu desempenho", admite (leia aqui).

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247