Barroso defende diretas se Temer for cassado

Relator da ação no Supremo Tribunal Federal que pode levar à convocação de eleições diretas para presidente, caso Michel Temer seja cassado pela Justiça Eleitoral, o ministro Luís Roberto Barroso já demonstrou seu posicionamento favorável à causa, durante um encontro com banqueiros nesta quarta-feira 5; Barroso já liberou a ação, que para ser julgada basta então uma decisão da presidente do STF, Cármen Lúcia; julgamento no Tribunal Superior Eleitoral, que pode cassar o mandato de Michel Temer, no entanto, teve início nessa semana e já foi adiado

Relator da ação no Supremo Tribunal Federal que pode levar à convocação de eleições diretas para presidente, caso Michel Temer seja cassado pela Justiça Eleitoral, o ministro Luís Roberto Barroso já demonstrou seu posicionamento favorável à causa, durante um encontro com banqueiros nesta quarta-feira 5; Barroso já liberou a ação, que para ser julgada basta então uma decisão da presidente do STF, Cármen Lúcia; julgamento no Tribunal Superior Eleitoral, que pode cassar o mandato de Michel Temer, no entanto, teve início nessa semana e já foi adiado
Relator da ação no Supremo Tribunal Federal que pode levar à convocação de eleições diretas para presidente, caso Michel Temer seja cassado pela Justiça Eleitoral, o ministro Luís Roberto Barroso já demonstrou seu posicionamento favorável à causa, durante um encontro com banqueiros nesta quarta-feira 5; Barroso já liberou a ação, que para ser julgada basta então uma decisão da presidente do STF, Cármen Lúcia; julgamento no Tribunal Superior Eleitoral, que pode cassar o mandato de Michel Temer, no entanto, teve início nessa semana e já foi adiado (Foto: Gisele Federicce)

247 - O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, defendeu a convocação de eleições diretas no País caso Michel Temer seja cassado no processo que corre no Tribunal Superior Eleitoral.

A declaração foi feita durante um encontro com banqueiros nesta quarta-feira 5, segundo a coluna Radar Online. Conforme destaca a coluna, a opinião do ministro é crucial, uma vez que ele é relator de uma ação no Supremo que pode levar à convocação das diretas. 

Nesse caso, Barroso, que será o primeiro a votar se a causa for analisada, já deixou claro seu posicionamento. Ele já liberou a ação na corte, que para ser julgada basta então uma decisão da presidente do STF, Cármen Lúcia.

O julgamento no TSE que pode cassar Temer, no entanto, teve início nessa semana e já foi adiado. A corte decidiu ampliar o prazo para a defesa e realizar novas oitivas, provavelmente retomando o caso apenas em maio.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247