Barroso: “deixar de cumprir decisão do STF é crime ou golpe”

Ministro Luís Roberto Barroso colocou nesta quarta-feira, 7, mais uma porção de madeira na lenha que alimenta a fogueira da crise institucional entre o Supremo Tribunal Federal e o Senado Federal; "Eu não participo desse julgamento por estar impedido e portanto não quero fazer comentário sobre ele. Porém, falando em tese, diante de decisão judicial é possível protestar e apresentar recurso. Mas deixar de cumpri-la é crime de desobediência ou golpe de Estado", afirmou; pleno do STF julga nesta quarta-feira, 7, se confirma ou rejeita decisão de afastar Renan Calheiros (PMDB) da presidência do Senado

Ministro Luís Roberto Barroso colocou nesta quarta-feira, 7, mais uma porção de madeira na lenha que alimenta a fogueira da crise institucional entre o Supremo Tribunal Federal e o Senado Federal; "Eu não participo desse julgamento por estar impedido e portanto não quero fazer comentário sobre ele. Porém, falando em tese, diante de decisão judicial é possível protestar e apresentar recurso. Mas deixar de cumpri-la é crime de desobediência ou golpe de Estado", afirmou; pleno do STF julga nesta quarta-feira, 7, se confirma ou rejeita decisão de afastar Renan Calheiros (PMDB) da presidência do Senado
Ministro Luís Roberto Barroso colocou nesta quarta-feira, 7, mais uma porção de madeira na lenha que alimenta a fogueira da crise institucional entre o Supremo Tribunal Federal e o Senado Federal; "Eu não participo desse julgamento por estar impedido e portanto não quero fazer comentário sobre ele. Porém, falando em tese, diante de decisão judicial é possível protestar e apresentar recurso. Mas deixar de cumpri-la é crime de desobediência ou golpe de Estado", afirmou; pleno do STF julga nesta quarta-feira, 7, se confirma ou rejeita decisão de afastar Renan Calheiros (PMDB) da presidência do Senado (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro Luís Roberto Barroso colocou nesta quarta-feira, 7, mais uma porção de madeira na lenha que alimenta a fogueira da crise institucional entre o Supremo Tribunal Federal e o Senado Federal. 

Em entrevista à colunista Mônica Bergamo, Barroso afirmou que deixar de cumprir uma decisão judicial é "crime ou golpe de estado". "Eu não participo desse julgamento por estar impedido e portanto não quero fazer comentário sobre ele. Porém, falando em tese, diante de decisão judicial é possível protestar e apresentar recurso. Mas deixar de cumpri-la é crime de desobediência ou golpe de Estado", afirmou.

Nessa terça-feira, 6, a Mesa Diretora do Senado recusou a aceitar a decisão monocrática do ministro do STF Marco Aurélio Mello, que determinou o afastamento de Renan Calheiros (PMDB) da presidência da Casa. O Senado pediu que o Plenário decida sobre a decisão do ministro. Caso será julgado nesta quarta-feira, 7.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247