Bolsonaro diz ter recebido informações de Trump sobre a China em trecho suprimido do vídeo

Segundo o jornalista Merval Pereira, o temor de assessores de Bolsonaro é que o presidente dos Estados Unidos tenha que desmentir a informação, mesmo que ela seja verdadeira. "Mas a desconfiança é de que seja mais uma bazófia de Bolsonaro", diz ele

Reunião ministerial e Jair Bolsonaro
Reunião ministerial e Jair Bolsonaro (Foto: Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O jornalista Merval Pereira, colunista do jornal O Globo, afirmou nesta sexta-feira, 21, que o trecho relativo à China que será suprimido na exibição do vídeo da reunião ministerial de 22 de abril não se trata das críticas do ministro Ernesto Araújo ao país asiático. 

Segundo Merval, o que preocupa assessores do Palácio do Planalto é a parte em que Bolsonaro revela que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, havia supostamente lhe dado acesso a relatórios de inteligência relacionados à China.

Esta fala se dá no momento em que Bolsonaro reclamada falta de informações do serviço de inteligência da Polícia Federal. "O temor de assessores do presidente Bolsonaro é que o presidente Trump tenha que desmentir a informação, mesmo que ela seja verdadeira. Mas a desconfiança é de que seja mais uma bazófia de Bolsonaro", diz Merval. 

O ministro celso de Mello, decano do STF, decidiu revelar o vídeo da reunião mnisterial até o final da tarde desta sexta-feira. 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247