Bolsonaro diz que Irã não deve reagir ao assassinato ordenado por Trump porque isso seria “suicida”

Em entrevista a José Luiz Datena, na Band, Jair Bolsonaro afirmou ainda que o Brasil "não tem forças armadas nucleares para poder dar opinião tranquilamente sem sofrer retaliações" a respeito do ataque dos Estados Unidos ao Iraque e ao Irã

(Foto: PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Em seu primeiro comentário ao atentado comandado pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, contra o Iraque, que matou o general iraniano Qassem Soleimani, Jair Bolsonaro afirmou que o Irã não deve reagir ao assassinato porque isso seria “suicida”. A declaração foi feita em entrevista ao apresentador José Luiz Datena, na TV Band.

“Tem que ver o potencial bélico e militar do Irã, acho muito difícil, pode até haver, mas seria uma operação quase suicida”, declarou. 

"Tenho que tomar cuidado com as palavras. Eu, como chefe de estado, o que porventura falar para você, Datena, pode até ser manchete no dia seguinte. Nós queremos paz, mas uma velha máxima no meio militar diz que quem quer paz tem que se preparar para a guerra", disse.

Mais cedo, em frente ao hospital onde a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, passa por um procedimento cirúrgico, Bolsonaro evitou comentar o atentado, afirmando não ter "poderio bélico" para isso. "Eu não tenho o poderio bélico que o americano tem para opinar neste momento. Se tivesse, eu opinaria", afirmou. Nesta manhã, ele havia dito que não opinaria antes de se encontrar com o ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno.

Apesar de descartar um posicionamento formal por parte do Itamaraty por enquanto, defendeu uma preparação maior do Exército Brasileiro.

"Uma corrida para recalcar as Forças Armadas num nível mais baixo possível. Por que? Porque nós sempre fomos o último obstáculo para o sonho deles que era o socialismo e isso nós levamos em conta. Você não faz as Forças Armadas, não recupera de uma hora pra outra. Acredito que nós devemos ter umas Forças Armadas melhor preparada belicamente e material para os próximos anos", completou.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247