Boulos: as pessoas não podem ser tratadas como invisíveis

Provável candidato do Psol à presidência da República, Guilherme Boulos participou do programa "Ferrez em construção", na TV 247, e disse que "a sociedade brasileira é altamente indignante"; segundo ele, basta ter olhos e não tratar as pessoas como invisíveis, para se dar conta de que há algo de profundamente errado na organização econômica e social do País; Boulos diz ainda que, além dos livros, sua maior escola foram as ocupações dos militantes sem-teto; "sem a indignação, a gente vai morrendo aos poucos", afirma; confira a íntegra da entrevista, que é também uma aula sobre a lógica das ocupações

Provável candidato do Psol à presidência da República, Guilherme Boulos participou do programa "Ferrez em construção", na TV 247, e disse que "a sociedade brasileira é altamente indignante"; segundo ele, basta ter olhos e não tratar as pessoas como invisíveis, para se dar conta de que há algo de profundamente errado na organização econômica e social do País; Boulos diz ainda que, além dos livros, sua maior escola foram as ocupações dos militantes sem-teto; "sem a indignação, a gente vai morrendo aos poucos", afirma; confira a íntegra da entrevista, que é também uma aula sobre a lógica das ocupações
Provável candidato do Psol à presidência da República, Guilherme Boulos participou do programa "Ferrez em construção", na TV 247, e disse que "a sociedade brasileira é altamente indignante"; segundo ele, basta ter olhos e não tratar as pessoas como invisíveis, para se dar conta de que há algo de profundamente errado na organização econômica e social do País; Boulos diz ainda que, além dos livros, sua maior escola foram as ocupações dos militantes sem-teto; "sem a indignação, a gente vai morrendo aos poucos", afirma; confira a íntegra da entrevista, que é também uma aula sobre a lógica das ocupações (Foto: Leonardo Attuch)

247 – Provável candidato do Psol à presidência da República, Guilherme Boulos participou do programa "Ferrez em construção", na TV 247, e disse que "a sociedade brasileira é altamente indignante". Segundo ele, basta ter olhos e não tratar as pessoas como invisíveis, para se dar conta de que há algo de profundamente errado na organização econômica e social do País.

Boulos diz ainda que, além dos livros, sua maior escola foram as ocupações dos militantes sem-teto. "O Brasil tem 6 milhões de famílias que não tiveram direito a ter uma casa", diz ele. "Esse mundo faz com que a gente vá naturalizando a barbárie e nos acostume com as situações mais cruéis", diz ele. "Sem a indignação, a gente vai morrendo aos poucos", afirma.

Na entrevista, Boulos afirma que a sociedade dos invisíveis gera ressentimento e violência. Ele, que também estudou psicanálise, lembra que São Paulo é uma das cidades com maior incidência de transtornos psíquicos no mundo.

Ferrez exaltou o livro "De que lado você está?", escrito por Boulos, e disse que a obra é mais do que uma criação literária. "É uma arma", diz Boulos.

Inscreva-se na TV 247 e confira a entrevista de Boulos a Ferrez:

Ao vivo na TV 247 Youtube 247