BR2pontos: Bolsonaro paga pra ver bomba atômica de Bebianno

Bebbiano disparou, como movimentos de defesa, uma série de ameaças ao presidente. Na mais forte delas, teria dito: "Se eu cair, ele cai junto", referindo-se ao presidente e aos segredos que detém do período eleitoral. Esse segredos, especialmente a maneira como Bolsonaro entrou para o PSL, segundo a jornalista Helena Chagas, pela força de 12 milhões de motivos, seriam como uma bomba-atômica contra o presidente nas mãos de Bebbiano

BR2pontos:  Bolsonaro paga pra ver bomba atômica de Bebianno
BR2pontos: Bolsonaro paga pra ver bomba atômica de Bebianno (Foto: Marcos Corrêa/PR)

Do Br2pontos De acordo com o portal UOL, uma reviravolta espetacular aconteceu na crise do cai-não-cai do ministro Gustavo Bebbiano. Ele caiu! Em reunião na noite desta sexta-feira 15, no Palácio da Alvorada, o presidente Jair Bolsonaro teria comunicado ao seu auxiliar que ele será exonerado pelo Diário Oficial, na edição da segunda-feira 18. O ato já estaria assinado. A reunião, em tom ríspido, foi presenciada pelo vice-presidente Hamilton Mourão e por outros ministros.

Durante a crise iniciada na quarta-feira 13, quando Carlos Bolsonaro, o 02, tuitou que Bebbiano cometera uma "mentira absoluta" ao dizer a jornalistas que havia falado com Bolsonaro, então internado no hospital Albert Einstein, Bebbiano disparou, como movimentos de defesa, uma série de ameaças ao presidente. Na mais forte delas, teria dito: "Se eu cair, ele cai junto", referindo-se ao presidente e aos segredos que detém do período eleitoral. Esse segredos, especialmente a maneira como Bolsonaro entrou para o PSL, segundo a jornalista Helena Chagas, pela força de 12 milhões de motivos, seriam como uma bomba-atômica contra o presidente nas mãos de Bebbiano. Esse potencial explosivo contido na exoneração de Bebbiano fez com que a mídia aceitasse a versão de que o ministro seria mantido no cargo. Mas isso não se confirmou.

Leia a íntegra no BR2pontos

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247