"Bretas é um juiz com claras ambições políticas", diz Paulo Moreira Leite

“Temos que prestar atenção com os paladinos da moral, um deles [Sergio Moro] virou ministro de Bolsonaro e agora surge um juiz com claras intenções políticas que é o Marcelo bretas”, apontou o jornalista Paulo Moreira Leite, referindo-se à invasão da PF no escritório de advocacia de Cristiano Zanin, advogado de Lula

Paulo Moreira Leite e Marcelo Bretas
Paulo Moreira Leite e Marcelo Bretas (Foto: Felipe Gonçalves/Brasil 247 | Fernando Frazão/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Ao comentar a invasão de agentes da Polícia Federal no escritório de advocacia de Cristiano Zanin Martins, advogado do ex-presidente Lula, o jornalista Paulo Moreira Leite, em participação no programa Bom Dia 247 desta quarta-feira (9), afirmou que o juiz Marcelo Bretas, responsável pela ordem de busca no local, sempre teve uma postura “de não respeitar o direito de defesa dos réus”. 

O jornalista também fez um alerta: “temos que prestar atenção com os paladinos da moral, um deles [Sergio Moro] virou ministro de Bolsonaro  e agora surge um juiz com claras intenções políticas que é o Bretas”. 

"Bretas possui claras intenções políticas. Seja para seguir carreira política ou ir para o Supremo", acrescentou. 

Saiba mais 

O juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Criminal do Rio, tem buscado se colocar como herdeiro do lavajatismo em crise e, desta vez, ordenou que a Polícia Federal invadisse na manhã desta quarta-feira (9) escritórios e endereços de diversos advogados. De acordo com o magistrado, a alegação é de que todos fariam parte de um suposto esquema de desvio de recursos do Serviço Social do Comércio (Sesc RJ), do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac RJ) e da Federação do Comércio (Fecomércio/RJ) entre 2012 e 2018. A operação acontece em consequência da delação de Orlando Diniz, ex-presidente da Fecomércio (Federação do Comércio do Rio). Um dos alvos da delação é o presidente da OAB, Felipe Santa Cruz, que reagiu  à ofensiva ontem, terça-feira (8). 

Os escritórios Roberto Teixeira e Cristiano Zanin são os principais alvo da ação. Os escritórios do advogado Eduardo Martins, filho do futuro presidente do Superior Tribunal de Justiça, Humberto Martins, e de Tiago Cedraz, filho de Aroldo Cedraz, ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), também foram invadidos. O escritório do ex-ministro do STJ César Asfor Rocha e seu filho Caio Rocha, foi igualmente invadido.

Inscreva-se na TV 247 e confira: 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247