Câmara apoia UNB após Weintraub disparar ataques contra universidades federais

Após o ministro da Educação, Abraham Weintraub, disparar diversos ataques contra as universidades federais, chegando a dizer que no local "existiam plantações de maconha", a Câmara aprovou um documento com fortes críticas ao ministro, classificando sua postura como " desarrazoada”

Brasília- DF. 11-12- 2019-   ministro da Educação Abraham Weintraub durante depoimento na comissão de educação da câmara
Brasília- DF. 11-12- 2019- ministro da Educação Abraham Weintraub durante depoimento na comissão de educação da câmara (Foto: Lula Marques)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 -  Após o ministro da Educação, Abraham Weintraub, disparar diversos ataques contra as universidades federais, chegando a dizer que no local "existiam plantações de maconha", a Câmara dos deputados  aprovou nesta terça um documento com fortes críticas ao ministro, classificando sua postura como " desarrazoada”  . A nota aprovada pela Comissão de Legislação Participativa foi iniciativa da deputada Erika Kokay (PT-DF). 

Segundo o portal Poder 360,  o documento diz que é “prática reincidente” do ministro “colocar as universidades, os estudantes, os professores e a educação pública como inimigos, destilando contra os mesmos inomináveis ataques e mensagens persecutórias”.

“Sendo assim inadmissível que 1 Ministro de Estado faça uso de tão relevante cargo para propalar informações inverídicas, com o fiel objetivo de violar o princípio constitucional da autonomia universitária, além dos princípios da impessoalidade e da legalidade na administração pública” , diz outro trecho do documento. 


O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247