Cardozo usará denúncia de Janot para anular o golpe

O ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, que é advogado da presidente deposta Dilma Rousseff, pretende usar elementos da segunda denúncia de Rodrigo Janot contra Michel Temer para tentar anular o golpe que derrubou a presidente legitimamente eleita; Cardozo  viu uma oportunidade no trecho em que o então procurador-geral da República relaciona dois fatos: o apoio do "quadrilhão do PMDB" à queda da petista e à tentativa do grupo de barrar a Operação Lava Jato; "Não se pode tratar o impeachment como se fosse uma ilha dissociada de tudo", diz o ex-ministro; para ele, a conexão entre fatos apontada na denúncia do procurador é "mais um indício da nulidade do processo contra Dilma"

O ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, que é advogado da presidente deposta Dilma Rousseff, pretende usar elementos da segunda denúncia de Rodrigo Janot contra Michel Temer para tentar anular o golpe que derrubou a presidente legitimamente eleita; Cardozo  viu uma oportunidade no trecho em que o então procurador-geral da República relaciona dois fatos: o apoio do "quadrilhão do PMDB" à queda da petista e à tentativa do grupo de barrar a Operação Lava Jato; "Não se pode tratar o impeachment como se fosse uma ilha dissociada de tudo", diz o ex-ministro; para ele, a conexão entre fatos apontada na denúncia do procurador é "mais um indício da nulidade do processo contra Dilma"
O ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, que é advogado da presidente deposta Dilma Rousseff, pretende usar elementos da segunda denúncia de Rodrigo Janot contra Michel Temer para tentar anular o golpe que derrubou a presidente legitimamente eleita; Cardozo  viu uma oportunidade no trecho em que o então procurador-geral da República relaciona dois fatos: o apoio do "quadrilhão do PMDB" à queda da petista e à tentativa do grupo de barrar a Operação Lava Jato; "Não se pode tratar o impeachment como se fosse uma ilha dissociada de tudo", diz o ex-ministro; para ele, a conexão entre fatos apontada na denúncia do procurador é "mais um indício da nulidade do processo contra Dilma" (Foto: Giuliana Miranda)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A segunda denúncia de Rodrigo Janot contra Michel Temer pode ter elementos que ajudem a anular o golpe que destituiu Dilma Rousseff, presidente legitimamente eleita do Brasil.

O ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, que é o advogado dela no caso, em tramitação no STF (Supremo Tribunal Federal), viu uma oportunidade no trecho em que o então procurador-geral da República relaciona dois fatos: o apoio do "quadrilhão do PMDB" à queda da petista e à tentativa do grupo de barrar a Operação Lava Jato.

O argumento de Cardozo é que Dilma foi alvo de retaliação, o que invalidaria o impeachment.

"Não se pode tratar o impeachment como se fosse uma ilha dissociada de tudo", diz o ex-ministro. Para ele, a conexão entre fatos apontada na denúncia do procurador é "mais um indício da nulidade do processo contra Dilma".

A defesa da petista vai utilizar a denúncia contra Temer durante o julgamento do mandado de segurança, que ainda não tem data marcada.

As informações são de reportagem de Joelmir Tavares na Folha de S.Paulo.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247