Centrais sindicais entregam exigências a Temer

Representantes de quatro centrais sindicais terão uma reunião com o vice-presidente Michel Temer (PMDB) nesta terça-feira (26); objetivo é hipotecar apoio a um eventual governo Temer e entregar um documento pedindo que, caso o peemedebista chegue ao poder por meio do impeachment, promova a redução das s taxas no que diz respeito ao consumo e investimentos, além da implantação de medidas que estimulem a criação de empregos e a correção na tabela do Imposto de Renda; documento será entregue pelos presidentes da Central Sindical Brasileira (CSB), Antonio Neto; da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva; da Nova Central Sindical de Trabalhadores, José Calixto Ramos; e da União Geral dos Trabalhadores (UGT), Ricardo Patah

Representantes de quatro centrais sindicais terão uma reunião com o vice-presidente Michel Temer (PMDB) nesta terça-feira (26); objetivo é hipotecar apoio a um eventual governo Temer e entregar um documento pedindo que, caso o peemedebista chegue ao poder por meio do impeachment, promova a redução das s taxas no que diz respeito ao consumo e investimentos, além da implantação de medidas que estimulem a criação de empregos e a correção na tabela do Imposto de Renda; documento será entregue pelos presidentes da Central Sindical Brasileira (CSB), Antonio Neto; da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva; da Nova Central Sindical de Trabalhadores, José Calixto Ramos; e da União Geral dos Trabalhadores (UGT), Ricardo Patah
Representantes de quatro centrais sindicais terão uma reunião com o vice-presidente Michel Temer (PMDB) nesta terça-feira (26); objetivo é hipotecar apoio a um eventual governo Temer e entregar um documento pedindo que, caso o peemedebista chegue ao poder por meio do impeachment, promova a redução das s taxas no que diz respeito ao consumo e investimentos, além da implantação de medidas que estimulem a criação de empregos e a correção na tabela do Imposto de Renda; documento será entregue pelos presidentes da Central Sindical Brasileira (CSB), Antonio Neto; da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva; da Nova Central Sindical de Trabalhadores, José Calixto Ramos; e da União Geral dos Trabalhadores (UGT), Ricardo Patah (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Representantes de quatro centrais sindicais pretendem entregar ao vice-presidente Michel Temer (PMDB) um documento pedindo que em um eventual governo do peemedebista as taxas de juros sejam reduzidas no que diz respeito ao consumo e investimentos, além da implantação de medidas que estimulem a criação de empregos e a correção na tabela do Imposto de Renda. A movimentação junto aos sindicatos levou Temer a adiar o anuncio do programa "Uma Ponte para o Futuro -  Travessia Social" - que contém os pontos centrais para o governo do peemedebista. 

Documento deverá ser entregue a Temer durante uma reunião com os presidentes da Central Sindical Brasileira (CSB), Antonio Neto; da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva; da Nova Central Sindical de Trabalhadores, José Calixto Ramos; e da União Geral dos Trabalhadores (UGT), Ricardo Patah, durante uma reunião que acontecerá na manhã desta terça-feira (26), em Brasília.

As centrais prometem hipotecar seu apoio a Temer, mas em troca cobram a "implantação urgente de uma política de desenvolvimento nacional; mudanças e redirecionamento da política econômica; retomada, ampliação e adoção de políticas de geração de empregos, renda e direitos sociais; correção da tabela do Imposto de Renda; criação de condições para o aumento da produção e da exportação; juros menores, voltados ao consumo e aos investimentos no comércio e na indústria; manutenção e ampliação dos programas voltados para a diminuição das desigualdades sociais; fortalecimento da política de valorização do salário mínimo como forma de distribuir renda; não à retirada de direitos na Reforma da Previdência",

"Temos uma pauta trabalhista. Queremos diálogo com o novo governo. Temos propostas para o país voltar a crescer e gerar empregos", disse o deputado federal e presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva (SD-SP). O parlamentar foi um dos principais articuladores pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff.

O encontro de Temer com os sindicalistas também é um meio do vice tentar anular o discurso da maior central sindical do País, a CUT, que já se posicionou contra o impeachment.  

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email