Com medo de cair, Temer deve abandonar cúpula do BRICs antes do fim

Em mais um vexame internacional, Michel Temer deve antecipar sua volta da China, temendo que a segunda denúncia do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que o acusará de obstrução judicial, ocorra com Rodrigo Maia na presidência da República e o deputado André Fufuca na presidência da Câmara; Maia tem sinalizado que não pretende se esforçar muito para salvar Temer e Fufuca disse que seguirá o regimento; sentindo cheiro de traição, Temer, que traiu Dilma, pode envergonhar o Brasil mais uma vez

temer Xi Jinping
temer Xi Jinping (Foto: Gisele Federicce)

247 - Michel Temer pode estar prestes a cometer mais um vexame internacional, envergonhando o Brasil.

O peemedebista deve antecipar sua volta da China, temendo que a segunda denúncia do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que o acusará de obstrução judicial, ocorra durante sua viagem, segundo o G1. E ele sente cheiro de traição.

Com a sua ausência, quem ocupa a presidência da República é o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), que tem dado sinais de que não pretende se esforçar muito para salvar Temer. E o deputado André Fufuca, que comanda a Câmara dos Deputados, tem dito que seguirá o regimento. 

A programação original da comitiva de Temer na China prevê chegada na próxima quarta-feira 6, mas ele manifestou interesse em já estar em Brasília um dia antes, na terça. Nesse caso, ele voltaria antes do encerramento da cúpula do Brics.

Além de Maia e Fufuca, aliados de Temer que integram o chamado 'Centrão' dão sinais de que cobrarão ainda mais recompensas do que na primeira denúncia em troca de apoio. Alguns cobram inclusive cheque sem fundos - promessas não cumpridas na primeira votação.

Conheça a TV 247

Mais de Poder

Ao vivo na TV 247 Youtube 247