Contemplado com ministério, MDB diz que manterá 'independência ativa'

Após emplacar o deputado federal reeleito Osmar Terra (MDB-RS) no comando do ministério da Cidadania, o MDB usou sua conta no Twitter para anunciar que irá manter o que chamou de "independência ativa" no governo do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL); "A partir de 1º de janeiro, o MDB manterá uma independência ativa. Apoiando medidas que buscam o crescimento do país, gestão eficiente e responsabilidade fiscal. No curto prazo não faremos oposição nem seremos base, discutiremos caso a caso", postou o partido em sua conta oficial na rede social

Contemplado com ministério, MDB diz que manterá 'independência ativa'
Contemplado com ministério, MDB diz que manterá 'independência ativa'
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Após emplacar o deputado federal reeleito Osmar Terra (MDB-RS) no comando do ministério da Cidadania, o MDB usou sua conta no Twitter para anunciar que irá manter o que chamou de "independência ativa" no governo do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) e que no "curto prazo" não integrará a base governista e nem a bancada de oposição.

"A partir de 1o de janeiro, o MDB manterá uma independência ativa. Apoiando medidas que buscam o crescimento do país, gestão eficiente e responsabilidade fiscal. No curto prazo não faremos oposição nem seremos base, discutiremos caso a caso", postou o partido em sua conta oficial na rede social.

Em uma outra postagem, o MDB diz que já contribuiu com propostas para o crescimento econômico e que considera "natural" que os parlamentares ligados a legenda "conversem" com o futuro governo.

A pasta de Cidadania que será comandada por Osmar Terra é resultante da fusão dos ministérios do Desenvolvimento Social, Cultura e Esportes, além de partes do Ministério do Trabalho.

Confira as postagens do MDB sobre o assunto.

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247