Cunha: Planalto brindou seu nome na lista de Janot

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), difunde entre amigos a versão segundo a qual a notícia sobre a inclusão do seu nome na lista de políticos entregue ao Supremo Tribunal Federal chegou primeiro ao Palácio do Planalto; "Mereceu, segundo diz, um brinde de champanhe", disse o colunista Josias de Souza; Cunha credita ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, a inclusão de seu nome na lista negra de Rodrigo Janot; nessa quarta-feira, 4, Eduardo Cunha solicitou formalmente ao Supremo a confirmação sobre o seu nome na lista de investigados

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), difunde entre amigos a versão segundo a qual a notícia sobre a inclusão do seu nome na lista de políticos entregue ao Supremo Tribunal Federal chegou primeiro ao Palácio do Planalto; "Mereceu, segundo diz, um brinde de champanhe", disse o colunista Josias de Souza; Cunha credita ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, a inclusão de seu nome na lista negra de Rodrigo Janot; nessa quarta-feira, 4, Eduardo Cunha solicitou formalmente ao Supremo a confirmação sobre o seu nome na lista de investigados
O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), difunde entre amigos a versão segundo a qual a notícia sobre a inclusão do seu nome na lista de políticos entregue ao Supremo Tribunal Federal chegou primeiro ao Palácio do Planalto; "Mereceu, segundo diz, um brinde de champanhe", disse o colunista Josias de Souza; Cunha credita ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, a inclusão de seu nome na lista negra de Rodrigo Janot; nessa quarta-feira, 4, Eduardo Cunha solicitou formalmente ao Supremo a confirmação sobre o seu nome na lista de investigados (Foto: Aquiles Lins)

247 - O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), não se conforma por integrar a lista de políticos a serem investigados pelo Supremo Tribunal Federal, entregue procurador geral da República, Rodrigo Janot.

Segundo o colunista Josias de Souza, Cunha difunde entre os amigos a versão segundo a qual a notícia sobre a inclusão do seu nome na lista de Janot chegou primeiro ao Palácio do Planalto. "Mereceu, segundo diz, um brinde de champanhe", afirma o blogueiro.

Na versão contada por Eduardo Cunha, seu nome foi empurrado para dentro da lista pelo ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que teria feito gestões junto ao procurador-geral. 

Nessa quarta-feira, 4, Eduardo Cunha solicitou formalmente ao Supremo a confirmação sobre o seu nome na lista de investigados. O relator do processo da operação Lava Jato no Supremo, ministro Teori Zavascki, deve decidir nesta sexta-feira, 6, se aceita os 28 pedidos de abertura de inquérito contra políticos suspeitos de se beneficiarem do esquema de corrupção na Petrobras.

Leia aqui o post de Josias de Souza. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247