Delação de Palocci só valerá se for contra Lula

Assim como ocorreu com Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, uma eventual delação premiada do ex-ministro Antonio Palocci só será aceita pela força-tarefa da Lava Jato se implicar diretamente o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva; em seu último depoimento, Palocci disse que poderia abrir uma frente para mais um ano de trabalho para o juiz Sergio Moro, indicando caminhos a percorrer no sistema financeiro, mas ele já percebeu que o foco da força-tarefa é Lula

Palocci é escoltado por policiais em Curitiba. 26/9/2016. REUTERS/Rodolfo Buhrer
Palocci é escoltado por policiais em Curitiba. 26/9/2016. REUTERS/Rodolfo Buhrer (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Assim como ocorreu com Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, uma eventual delação premiada do ex-ministro Antonio Palocci só será aceita pela força-tarefa da Lava Jato se implicar diretamente o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, segundo informa a jornalista Mônica Bergamo.

Em seu último depoimento, Palocci disse que poderia abrir caminho para mais um ano de trabalho para o juiz Sergio Moro, indicando caminhos a percorrer no sistema financeiro, mas ele já percebeu que o foco da força-tarefa é Lula.

"O ex-ministro Antonio Palocci tem oscilado em relação a Lula. Embora tenha preservado o ex-presidente em seu depoimento ao juiz Sergio Moro, na semana passada, ele já estaria convencido de que dificilmente fechará uma delação premiada sem envolver diretamente o ex-presidente", diz Mônica Bergamo. "Palocci só preservou Lula no depoimento da semana passada 'a duras penas', segundo uma pessoa de seu círculo próximo."

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247