DEM pode deixar base de Temer para disputar Presidência; Aleluia nega

Antevendo o desastre que será 2018 dentro do barco de partidos ligados ao presidente Michel Temer, cuja rejeição é estratosférica, caciques do DEM avaliam deixar a base aliada e lançar Rodrigo Maia para presidente em 2018; o prefeito ACM Neto (DEM) e o senador Ronaldo Caiado (DEM-GO) almoçaram nesta quinta-feira (28), em Salvador, com Rodrigo Maia(DEM-RJ) em mais uma tentativa de convencê-lo a disputar o Planalto; e muito embora o deputado federal José Carlos Aleluia (DEM-BA) tente negar toda essa estratégia e dizer que ela não passa de especulação, ele admite que Maia “é um nome que é possível”

Antevendo o desastre que será 2018 dentro do barco de partidos ligados ao presidente Michel Temer, cuja rejeição é estratosférica, caciques do DEM avaliam deixar a base aliada e lançar Rodrigo Maia para presidente em 2018; o prefeito ACM Neto (DEM) e o senador Ronaldo Caiado (DEM-GO) almoçaram nesta quinta-feira (28), em Salvador, com Rodrigo Maia(DEM-RJ) em mais uma tentativa de convencê-lo a disputar o Planalto; e muito embora o deputado federal José Carlos Aleluia (DEM-BA) tente negar toda essa estratégia e dizer que ela não passa de especulação, ele admite que Maia “é um nome que é possível”
Antevendo o desastre que será 2018 dentro do barco de partidos ligados ao presidente Michel Temer, cuja rejeição é estratosférica, caciques do DEM avaliam deixar a base aliada e lançar Rodrigo Maia para presidente em 2018; o prefeito ACM Neto (DEM) e o senador Ronaldo Caiado (DEM-GO) almoçaram nesta quinta-feira (28), em Salvador, com Rodrigo Maia(DEM-RJ) em mais uma tentativa de convencê-lo a disputar o Planalto; e muito embora o deputado federal José Carlos Aleluia (DEM-BA) tente negar toda essa estratégia e dizer que ela não passa de especulação, ele admite que Maia “é um nome que é possível” (Foto: Voney Malta)

247 – Se quiser ter candidato com alguma possibilidade na disputa presidencial em 2018, o DEM sabe que precisa -  embora para muitos já é tarde, se afastar do presidente Michel Temer deixando a base aliada e os  ministérios que ocupa.

Porém, será difícil retirar da sigla o carimbo de partido golpista que derrubou uma presidente honesta e que participa de um governo suspeito de envolvimento em corrupção e francamente rejeitado pela maioria da população, de ter levado o país aos piores indicadores econômicos e sociais, além de prejudicar os  trabalhadores ainda mais com a reforma Trabalhista e a proposta de reforma da Previdência.

Exatamente por isso os caciques ainda planejam e realizam estudos para desembarcar do governo para lançar candidatura própria ao Planalto em 2018. Segundo reportagem publicada no Política Livre, na convenção do dia 6 de fevereiro o partido irá consolidar sua disposição de apresentar um nome na disputa e se posicionar como independente.

O preferido é o presidente da Câmara, Rodrigo Maia. Demistas avaliam que ele teria mais chances de competir com outros candidatos do centro, campo disputado hoje pelo tucano Geraldo Alckmin e Henrique Meirelles (PSD). E querem dissociar seu candidato do nome apoiado pelo Palácio do Planalto. O prefeito de Salvador, ACM Neto, e o senador Ronaldo Caiado (GO), almoçaram ontem, em Salvador, com Rodrigo Maia em mais uma tentativa de convencê-lo a disputar o Planalto.

Entretanto, há discordância sobre essa estratégia, caso do deputado federal José Carlos Aleluia (DEM-BA). Ele nega que o DEM estuda deixar a base de Michel Temer para disputar a Presidência da República, de acordo com reportagem de Guilherme Reis, do bocaonews. “Tudo especulação, ninguém decide política com antecedência. A prioridade agora é aprovar a reforma da Previdência”, garantiu Aleluia em entrevista ao BNews, por telefone, admitindo que o DEM trabalha o nome de Maia. “É um nome que é possível”.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247