Deputados pedem demissão de assessor de Bolsonaro ligado ao gabinete do ódio

Os deputados federais Orlando Silva (PCdoB-SP) e Marcelo Freixo (PSol-RJ) acionaram o Comitê de Ética da Presidência pedindo a demissão de Tercio Arnaud Tomaz, assessor especial de Jair Bolsonaro e ligado ao gabinete do ódio

Tercio Arnaud Tomaz e Jair Bolsonaro
Tercio Arnaud Tomaz e Jair Bolsonaro (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Os deputados federais Orlando Silva (PCdoB-SP) e Marcelo Freixo (PSol-RJ) acionaram o Comitê de Ética da Presidência pedindo a demissão de Tercio Arnaud Tomaz, assessor especial de Jair Bolsonaro. 

Ligado ao gabinete do odio, ele administrava uma das 88 contas de apoio a Bolsonaro bloqueadas pelo Facebook na semana passada, por operarem em desacordo com a política de uso da rede.

Em suas redes sociais, Freixo disse que “o Facebook derrubou, como você sabem, dezenas de páginas relacionadas ao gabinete do ódio, ligadas diretamente ao presidente da República. Tercio Arnaud é a pessoa que operava essas páginas no horário do seu expediente, trabalhando dentro do palácio. (...) Ele é pago com dinheiro público para produzir fake news durante o horário de trabalho. Isso é completamente inaceitável”, 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email