Dilma: "Eu não governo só para o PT"

Presidente confirmou que não participará das celebrações dos 36 anos do partido na noite deste sábado (27), no Rio de Janeiro; “Eu não governo só para o PT, eu governo para 204 milhões de brasileiros", disse; depois, contemporizou, ao afirmar que também não governa só para o PSD, PDT, PTB ou só para o PMDB; as declarações foram feitas em Santiago do Chile, antes de almoço com a presidente Michelle Bachelet; a jornalistas, a petista afirmou ainda que não esperaria uma adesão acrítica do PT ao governo; "Um partido é um partido, um governo é um governo"; na sexta-feira, integrantes da sigla criticaram a proposta de ajuste fiscal proposto pela área econômica do governo; ainda assim, a presidente disse esperar o apoio de toda a sua base (PT incluído) na aprovação das medidas

www.brasil247.com - Presidente confirmou que não participará das celebrações dos 36 anos do partido na noite deste sábado (27), no Rio de Janeiro; “Eu não governo só para o PT, eu governo para 204 milhões de brasileiros", disse; depois, contemporizou, ao afirmar que também não governa só para o PSD, PDT, PTB ou só para o PMDB; as declarações foram feitas em Santiago do Chile, antes de almoço com a presidente Michelle Bachelet; a jornalistas, a petista afirmou ainda que não esperaria uma adesão acrítica do PT ao governo; "Um partido é um partido, um governo é um governo"; na sexta-feira, integrantes da sigla criticaram a proposta de ajuste fiscal proposto pela área econômica do governo; ainda assim, a presidente disse esperar o apoio de toda a sua base (PT incluído) na aprovação das medidas
Presidente confirmou que não participará das celebrações dos 36 anos do partido na noite deste sábado (27), no Rio de Janeiro; “Eu não governo só para o PT, eu governo para 204 milhões de brasileiros", disse; depois, contemporizou, ao afirmar que também não governa só para o PSD, PDT, PTB ou só para o PMDB; as declarações foram feitas em Santiago do Chile, antes de almoço com a presidente Michelle Bachelet; a jornalistas, a petista afirmou ainda que não esperaria uma adesão acrítica do PT ao governo; "Um partido é um partido, um governo é um governo"; na sexta-feira, integrantes da sigla criticaram a proposta de ajuste fiscal proposto pela área econômica do governo; ainda assim, a presidente disse esperar o apoio de toda a sua base (PT incluído) na aprovação das medidas (Foto: Realle Palazzo-Martini)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - A presidente Dlima Rousseff disse neste sábado (27) em Santiago que não governa só para o PT. A petista foi questionada se participaria logo mais das celebrações dos 36 anos do partido, no Rio de Janeiro. “Eu não governoo só para o PT. Eu governo para os 204 milhões de brasileiros, disse aos jornalistas antes do almoço em seu compromisso oficial com a presidente chilena Michelle Bachelet.

Segundo a reportagem do Estadão, a frase teria impactado os presentes à entrevista. Ao perceber isso, a presidente teria feito uma pausa e complementado: “Eu não governo só para o PT, só para o PSD, só para o PDT, ou só para o PTB, ou só para o PMDB”.

Dilma ressaltou que as relações entre o governo e o PT não se caracterizam por uma posição de adesão sem avaliação crítica, afirmando que “um partido é um partido, um governo é um governo”.

A declaração da presidente é uma resposta às severas críticas feitas pelo PT na sexta-feira (26) ao plano de ajuste fiscal proposto pelo governo. Apesar disso, a presidente declarou que espera apoio de sua base de apoio às medidas propostas. “Eu espero que o PT, o PMDB, o PSD, o PP, o PRB, o PCdoB, enfim, toda a minha base, espero que todos contribuam”, instou.

PUBLICIDADE

“Todos teremos que trabalhar um pouco mais. Acho que é isso que assusta”, disse, ao referir-se à proposta de mudança na Previdência.

Dilma confirmou que, contra seu desejo, não participará do aniversário do PT e que o partido foi informado da ausência dela. Segundo a petista a distância entre Chile e Brasil é muito longa, quatro horas de viagem até Brasília.

PUBLICIDADE

O Estadão sugere que Dilma planejou apressadamente e dilatou a agenda com Bachelet no intuito de arranjar uma desculpa para não ir ao aniversário do PT, Havia o temor de a presidente ser hostilizada no encontro.

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email