Dilma sobre Datafolha: “Diferença de 3% para 62% não é trivial”

A presidente eleita Dilma Rousseff comentou nesta manhã, em entrevista à Rádio Pampa, do Rio Grande do Sul, a fraude na elaboração da pesquisa Datafolha e principalmente na divulgação dos resultados no fim de semana, que apontou que 50% da população brasileira queria a permanência de Michel Temer no poder, o que é falso; "Não costumo comentar pesquisa, mas um fato deve ser olhado. Uma diferença de 3% pra 62% em relação ao que quer a população não é trivial", disse Dilma, sobre o percentual que defende novas eleições – o primeiro foi o divulgado pelo jornal e o segundo foi o que a pesquisa efetivamente identificou nas respostas dos entrevistados; "Não é um descuido, o que é lamentável, porque todo mundo tinha em alta conta esse instituto de pesquisa", acrescentou a presidente

A presidente eleita Dilma Rousseff comentou nesta manhã, em entrevista à Rádio Pampa, do Rio Grande do Sul, a fraude na elaboração da pesquisa Datafolha e principalmente na divulgação dos resultados no fim de semana, que apontou que 50% da população brasileira queria a permanência de Michel Temer no poder, o que é falso; "Não costumo comentar pesquisa, mas um fato deve ser olhado. Uma diferença de 3% pra 62% em relação ao que quer a população não é trivial", disse Dilma, sobre o percentual que defende novas eleições – o primeiro foi o divulgado pelo jornal e o segundo foi o que a pesquisa efetivamente identificou nas respostas dos entrevistados; "Não é um descuido, o que é lamentável, porque todo mundo tinha em alta conta esse instituto de pesquisa", acrescentou a presidente
A presidente eleita Dilma Rousseff comentou nesta manhã, em entrevista à Rádio Pampa, do Rio Grande do Sul, a fraude na elaboração da pesquisa Datafolha e principalmente na divulgação dos resultados no fim de semana, que apontou que 50% da população brasileira queria a permanência de Michel Temer no poder, o que é falso; "Não costumo comentar pesquisa, mas um fato deve ser olhado. Uma diferença de 3% pra 62% em relação ao que quer a população não é trivial", disse Dilma, sobre o percentual que defende novas eleições – o primeiro foi o divulgado pelo jornal e o segundo foi o que a pesquisa efetivamente identificou nas respostas dos entrevistados; "Não é um descuido, o que é lamentável, porque todo mundo tinha em alta conta esse instituto de pesquisa", acrescentou a presidente (Foto: Gisele Federicce)

247 – A presidente eleita Dilma Rousseff comentou na manhã desta quinta-feira 21, em entrevista à Rádio Pampa, do Rio Grande do Sul, a fraude na elaboração da pesquisa Datafolha e principalmente na divulgação dos resultados no fim de semana.

De acordo com reportagem do jornal sobre a pesquisa, 50% da população brasileira defende a permanência do presidente interino, Michel Temer, no poder, o que ficou provado ser falso com a publicação da pesquisa detalhada, na última terça-feira.

"Não costumo comentar pesquisa, mas um fato deve ser olhado. Uma diferença de 3% pra 62% em relação ao que quer a população não é trivial", disse Dilma, sobre o percentual dos brasileiros que defendem novas eleições.

A pesquisa identificou que 62% dos entrevistados querem um novo pleito, mas o percentual divulgado pelo jornal foi de 3%. O número real só foi divulgado após uma série de questionamentos feitos por jornalistas ao jornal e ao instituto, entre eles o 247 e o site The Intercept, do jornalista Glenn Greenwald.

"Não é um descuido, o que é lamentável, porque todo mundo tinha em alta conta esse instituto de pesquisa", comentou ainda a presidente, sugerindo que a elaboração da pesquisa, da forma como foi feita, e a divulgação dos dados foram uma opção da empresa.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247