Fachin espera que decisão sobre impeachment “comece e acabe” na quarta

Ministro do STF que decidiu pela suspensão do processo de impeachment no Congresso até o dia 16, quando a corte debaterá o assunto, espera que qualquer deliberação sobre o assunto saia na própria quarta-feira; expectativa era de que o ministro Gilmar Mendes pudesse pedir vista, paralisando o caso; hoje, Gilmar declarou, porém: "Não acredito que haverá pedido de vista"

Ministro do STF que decidiu pela suspensão do processo de impeachment no Congresso até o dia 16, quando a corte debaterá o assunto, espera que qualquer deliberação sobre o assunto saia na própria quarta-feira; expectativa era de que o ministro Gilmar Mendes pudesse pedir vista, paralisando o caso; hoje, Gilmar declarou, porém: "Não acredito que haverá pedido de vista"
Ministro do STF que decidiu pela suspensão do processo de impeachment no Congresso até o dia 16, quando a corte debaterá o assunto, espera que qualquer deliberação sobre o assunto saia na própria quarta-feira; expectativa era de que o ministro Gilmar Mendes pudesse pedir vista, paralisando o caso; hoje, Gilmar declarou, porém: "Não acredito que haverá pedido de vista" (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Edson Fachin afirmou nesta sexta-feira 11 que espera que a decisão da corte sobre o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff "comece a acabe" na quarta-feira 16.

"Eu espero que a sessão do STF comece e acabe na quarta-feira. O Supremo deve ser célere nessa resposta, para dar tranquilidade ao processo", disse o ministro, durante evento em Curitiba (PR).

Na semana passada, Fachin suspendeu a decisão que escolheu a comissão de impeachment na Câmara dos Deputados. Por determinação do presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), a votação foi secreta e houve a candidatura de uma chapa alternativa.

O PCdoB alegou que a criação de uma segunda chapa para formação de comissões é inconstitucional e entrou com duas ação no Supremo para suspender o caso – uma contra a chapa alternativa e outra contra a votação secreta –, o que foi feito no mesmo dia.

Expectativa era de que o ministro do STF Gilmar Mendes pudesse pedir vista, paralisando o processo até 2016. Nesta sexta-feira, porém, Gilmar declarou: "Não acredito que haverá esse pedido de vista, todos percebem que há uma necessidade desse tema ser encaminhado".

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email