Família orienta Loures a delatar para que ele não seja o Valério de Temer

A família do ex-deputado Rodrigo Rocha Loures, flagrado com R$ 500 mil em dinheiro da JBS, pressiona o homem da mala de Michel Temer a delatar o peemedebista; sua mulher, grávida de oito meses, e familiares, querem que ele faça um acordo de colaboração com a Justiça para que Loures não se torne um Marcos Valério de Temer; Valério foi condenado a mais de 40 anos de prisão e continua tentando fazer acordo de delação - sem sucesso por ter chegado tarde demais

A família do ex-deputado Rodrigo Rocha Loures, flagrado com R$ 500 mil em dinheiro da JBS, pressiona o homem da mala de Michel Temer a delatar o peemedebista; sua mulher, grávida de oito meses, e familiares, querem que ele faça um acordo de colaboração com a Justiça para que Loures não se torne um Marcos Valério de Temer; Valério foi condenado a mais de 40 anos de prisão e continua tentando fazer acordo de delação - sem sucesso por ter chegado tarde demais
A família do ex-deputado Rodrigo Rocha Loures, flagrado com R$ 500 mil em dinheiro da JBS, pressiona o homem da mala de Michel Temer a delatar o peemedebista; sua mulher, grávida de oito meses, e familiares, querem que ele faça um acordo de colaboração com a Justiça para que Loures não se torne um Marcos Valério de Temer; Valério foi condenado a mais de 40 anos de prisão e continua tentando fazer acordo de delação - sem sucesso por ter chegado tarde demais (Foto: Giuliana Miranda)

247 - Rodrigo Rocha Loures vem recebendo orientações de sua família para fazer um acordo de delação premiada.

Interlocutores do homem da mala de Temer avaliam que sua situação é de fragilidade, ainda mais se ele continuar preso após a denúncia.

Sua mulher está grávida e sua família não quer que ele se torne um Marcos Valério de Temer. Valério foi condenado a mais de 40 anos de prisão e continua tentando fazer acordo de delação - sem sucesso por ter chegado tarde demais.

Além de Rocha Loures, outras ameaças que rondam Temer são possíveis delações do próprio Funaro e de Eduardo Cunha

. Na semana passada, o advogado Cezar Bitencourt deixou a defesa de Funaro confirmando que ele havia iniciado as negociações para uma delação. Até agora, porém, a resistência do doleiro em reconhecer alguns crimes imputados a ele - como o recebimento de dinheiro para ficar em silêncio - têm deixado procuradores reticentes, com a percepção de que ele ainda não estaria entregando tudo o que tem. As conversas estariam em fase de "namoro".

As informações são de reportagem de Maíra Magro no Valor

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247