Filhos do presidente do STJ, que concedeu prisão domiciliar a Queiroz, advogam na mesma corte que o pai

Os dois filhos de João Otávio de Noronha, presidente do STJ que concedeu prisão domiciliar a Queiroz e sua esposa, atuam na mesma Corte que seu pai. Ação não é ilegal, mas ministros relatam constrangimento e também condenam, reservadamente, a vinculação pública que ele faz questão de reforçar com seus filhos

www.brasil247.com - Anna Carolina Noronha, João Otávio de Noronha, Márcia Aguiar e Fabrício Queiroz
Anna Carolina Noronha, João Otávio de Noronha, Márcia Aguiar e Fabrício Queiroz (Foto: Reprodução | G.Dettmar/agência CNJ)


247 - Após a posse de João Otávio de Noronha como presidente do STJ (Superior Tribunal de Justiça), os dois filhos do ministro, Anna Carolina Noronha e Otávio Noronha, que advogam na corte, intensificaram a atuação em processos criminais, aponta reportagem do jornal Folha de S. Paulo. 

Não é ilícito a atuação dos filhos de Noronha em causas que tramitam no mesmo tribunal — No entanto, nos bastidores do STJ, a reportagem apurou que ministros relatam constrangimento em decidir sobre ações em que figuram nomes dos filhos Noronha. Eles também disseram que a situação criou um clima de insatisfação entre a classe de advogados em Brasília.

O filhos de Noronha atuavam, antes do ingresso do pai na Corte, advogam com temas ligados às áreas civil e pública do direito e passaram a fazer a defesa penal de pessoas investigadas em grandes operações da Polícia Federal e do Ministério Público Federal, área mais lucrativa de atuação. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Segundo a reportagem, ministros do STJ estranharam a mudança no perfil de atuação dos  filhos do presidente da Corte e também condenam, reservadamente, a vinculação pública que ele faz questão de reforçar com seus filhos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Noronha decidiu na última quinta-feira (9) mandar Fabrício Queiroz para a prisão domiciliar. Ele estava preso desde 18 de junho e sua mulher, Márcia Aguiar, está foragida desde então. A decisão foi duramente criticada pelo fato de beneficiar diretamente o clã Bolsonaro. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email