Gilmar Mendes defende papel constitucional das Forças Armadas: "O Exército não é milícia"

"Em que país do mundo as Forças Armadas são elevadas à condição de intérprete da Constituição? Onde está esta jaboticaba que estão lendo no Artigo 142 [da Constituição]?", questiona o ministro do STF, sobre os pedidos de golpe por apoiadores de Jair Bolsonaro

(Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro Gilmar Mendes, do SupremoTribunal Federal (STF), defendeu nesta terça-fera, 2, o papel constitucional das Forças Armadas, em meio aos frequentes protestos de apoiadores de Jair Bolsonaro por intervenção militar no País, supostamente amparada no Artigo 142 da Constituição. 

Durante entrevista à Globonews, Mendes disse que as Forças Armadas são instituições permanentes que devem ser compreendidas na sua acepção republicana. 

"Em que país do mundo as Forças Armadas são elevadas à condição de intérprete da Constituição? Onde está esta jaboticaba que estão lendo no Artigo 142 [da Constituição]?", questiona o ministro. 

"É incompatível com a Constituição de 1988 a ideia de que as forças armadas podem fechar o STF ou o Congresso. O exército não é milícia. #DitaduraNuncaMais", escreveu Gilmar Mendes ao comentar sua entevista. 

Assista:

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247