Governo Bolsonaro prevê derrota da PEC dos Precatórios no Senado

Não há votos suficientes para aprovação da Proposta de Emenda Constituição que dá calote nos precatórios, avalia a cúpula bolsonarista

Jair Bolsonaro e Rodrigo Pacheco
Jair Bolsonaro e Rodrigo Pacheco (Foto: Reuters/Adriano Machado)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - A cúpula do do governo Bolsonaro praticamente jogou a toalha e considera remotas as chances de aprovação da PEC dos Precatórios no Senado. Em conversas com parlamentares, eles afirmam que hoje não há votos para a aprovação da medida. A informação é de Bela Megale, em O Globo

A Câmara dos Deputados aprovou no segundo turno a PEC (Proposta de Emenda à Constituição)  por 323 votos a 171 em 9 de novembro. O texto limita o valor de despesas anuais com precatórios, corrige seus valores exclusivamente pela Taxa Selic e muda a forma de calcular o teto de gastos -tudo para viabilizar o Auxílio Brasil em ano eleitoral, depois de o governo Bolsonaro acabar com o Bolsa Família.

Segundo Megale, a disputa pela vaga do Tribunal de Contas da União (TCU) é apontada na cúpula do governo como mais um fator que dificulta ainda mais a aprovação da emenda. A senadora Katia Abreu (PP-TO) concorre com Antonio Anastasia (PSD-MG) e Fernando Bezerra (MDB-PE) e o último é o líder do governo na Casa.

PUBLICIDADE

Senadores da base governista estão pressionando o Palácio do Planalto por cargos e pela liberação imediata de emendas para votar na PEC. O governo, no entanto, está com dificuldade para atender as demandas.

Inscreva-se no canal de cortes do 247 e assista:

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email