Henrique Alves, primeiro a trair Dilma, levou R$ 7 milhões em espécie

O ex-ministro Henrique Eduardo Alves, que foi o primeiro a trair a presidente deposta Dilma Rousseff para aderir à conspiração liderada por Michel Temer, recebeu uma propina de R$ 7 milhões, paga em espécie, num hotel em Natal (RN); a informação consta da delação do corretor Lúcio Funaro, que também incrimina Temer e outros de seus aliados, como Geddel Vieira Lima, Eduardo Cunha, Moreira Franco e Eliseu Padilha; Alves está preso desde 6 de junho e deve ter sua situação agravada, uma vez que Funaro também apontará recursos mantidos no exterior para alimentar a "quadrilha" do PMDB da Câmara dos Deputados

Henrique Alves Michel Temer
Henrique Alves Michel Temer (Foto: Leonardo Attuch)

247 – O ex-ministro Henrique Eduardo Alves, que foi o primeiro a trair a presidente deposta Dilma Rousseff para aderir à conspiração liderada por Michel Temer, recebeu uma propina de R$ 7 milhões, paga em espécie, num hotel em Natal (RN).

A informação, antecipada em reportagem da Folha de S. Paulo, consta da delação do corretor Lúcio Funaro, que também incrimina Temer e outros de seus aliados, como Geddel Vieira Lima, Eduardo Cunha, Moreira Franco e Eliseu Padilha.

Alves está preso desde 6 de junho e deve ter sua situação agravada, uma vez que Funaro também apontará recursos mantidos no exterior para alimentar a "quadrilha" do PMDB da Câmara dos Deputados

"Segundo envolvidos nas tratativas, Funaro relatou que usou um avião do grupo Bertin para transportar o dinheiro a Natal. O montante, segundo ele, foi entregue para um assessor de Henrique Alves no Hotel Ocean, na praia de Ponta Negra, na capital", diz o texto de Bela Megale, Letícia Casado e Talita Fernandes.

"O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pretende acrescentar trechos da colaboração de Funaro a uma nova denúncia contra o presidente Michel Temer, que deve ser apresentada nos próximos dias", informa ainda a reportagem.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247