Kassab informa a Dilma que PSD apoiará impeachment

Após a reunião com deputados do PSD na Câmara, o ministro das Cidades, Gilberto Kassab, foi ao Palácio do Planalto nesta quarta (14), comunicar à presidente Dilma Rousseff sobre a decisão da maioria da bancada a favor do impeachment; o deputado Átila Lins (PSD-AM) disse que o ministro informou à presidente que estaria disposto a deixar o cargo; mas Dilma, segundo o deputado,  afirmou que ele que poderia continuar na pasta; atualmente, entre os 36 deputados do partido, estima-se que ao menos 26 sejam a favor do impeachment

Após a reunião com deputados do PSD na Câmara, o ministro das Cidades, Gilberto Kassab, foi ao Palácio do Planalto nesta quarta (14), comunicar à presidente Dilma Rousseff sobre a decisão da maioria da bancada a favor do impeachment; o deputado Átila Lins (PSD-AM) disse que o ministro informou à presidente que estaria disposto a deixar o cargo; mas Dilma, segundo o deputado,  afirmou que ele que poderia continuar na pasta; atualmente, entre os 36 deputados do partido, estima-se que ao menos 26 sejam a favor do impeachment
Após a reunião com deputados do PSD na Câmara, o ministro das Cidades, Gilberto Kassab, foi ao Palácio do Planalto nesta quarta (14), comunicar à presidente Dilma Rousseff sobre a decisão da maioria da bancada a favor do impeachment; o deputado Átila Lins (PSD-AM) disse que o ministro informou à presidente que estaria disposto a deixar o cargo; mas Dilma, segundo o deputado,  afirmou que ele que poderia continuar na pasta; atualmente, entre os 36 deputados do partido, estima-se que ao menos 26 sejam a favor do impeachment (Foto: Valter Lima)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Após a reunião com deputados do PSD na Câmara, o ministro das Cidades, Gilberto Kassab, foi ao Palácio do Planalto nesta quarta-feira (14), comunicar à presidente Dilma Rousseff sobre a decisão da maioria da bancada a favor do impeachment.

O deputado Átila Lins (PSD-AM) disse que o ministro informou à presidente que estaria disposto a deixar o cargo. Mas Dilma, segundo o deputado,  afirmou que ele que poderia continuar na pasta, mesmo com o apoio da maior parte dos parlamentares do PSD ao impeachment.

Atualmente, dentre os 36 deputados do partido, estima-se que ao menos 26 sejam a favor do impeachment. Os favoráveis ao governo seriam apenas cinco. "Mudamos de liberado para favorável, mas respeitando a posição dos deputados divergentes", disse o líder do PSD na Câmara, Rogério Rosso (DF), que afirmou que os dissidentes não serão punidos.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email