Kennedy Alencar: Bretas é uma mistura de Moro com Witzel

O jornalista Kennedy Alencar alertou que o juiz Marcelo Bretas é uma mistura do ex-juiz Sergio Moro com o governador do Rio de Janeiro afastado, Wilson Witzel. “O estrago que o bolsonarismo faz no Brasil só está começando”, disse

(Foto: Brasil 247 | ABr | Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O jornalista Kennedy Alencar alertou em suas redes sociais nesta quarta-feira (9) que o juiz da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, Marcelo Bretas é uma “mistura [do ex-juiz] Sergio Moro com [o governador do Rio de Janeiro afastado, Wilson] Witzel”. 

O jornalista também disse que Bretas é “candidatíssimo a uma vaga no Supremo Tribunal Federal”. 

“Como alertou a Michelle Obama, as coisas sempre podem piorar, acreditem. O estrago que o bolsonarismo faz no Brasil só está começando”,  acrescentou. 

Saiba mais 

Em mais um capítulo da perseguição judicial ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que foi preso político durante 580 dias, o Ministério Público, em aliança com o juiz Marcelo Bretas, agora acusa seus próprios advogados de comandarem uma quadrilha. O método é o que foi usado à exaustão durante o auge da Lava Jato: uma operação espetaculosa com o vazamento de informações que deveriam ser mantidas sob sigilo para os jornalistas “amigos”.

A Operação Lava Jato está nas ruas para cumprir mandados de busca e apreensão contra escritórios de advocacia. Um deles é o de Cristiano Zanin Martins, advogado do ex-presidente Lula. Os mandados foram expedidos pelo juiz Marcelo Bretas e também miram os escritórios da mulher do ex-governador do Rio Sérgio Cabral, Adriana Ancelmo, de Tiago Cedraz e de Cesar Asfor Rocha.

Os escritórios e outras empresas são investigados por desvio de cerca de R$ 355 milhões do Serviço Social do Comércio (Sesc RJ), do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac RJ) e da Federação do Comércio (Fecomércio/RJ). Os desvios teriam acontecido entre 2012 e 2018.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247