Luis Felipe Miguel: 'o STF reconheceu que a eleição de 2018 foi ilegítima'

Cientista político Luis Felipe Miguel disse que o STF reconheceu a ilegalidade da última eleição presidencial ao retirar um trecho da delação de Antonio Palocci. De acordo com o analista a colaboração premiada do ex-ministro foi "publicizada" por Sérgio Moro

Luis Felipe Miguel
Luis Felipe Miguel
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O cientista político Luis Felipe Miguel afirmou que o Supremo Tribunal Federal reconheceu a ilegalidade da eleição presidencial de 2018 ao retirar um trecho da delação premiada de Antonio Palocci. O teor dos depoimentos do ex-ministro foi liberado naquele ano pelo então juiz Sérgio Moro a uma semana do primeiro turno. 

"A decisão do STF, determinando que a delação premiada de Palocci publicizada por Moro às vésperas do primeiro turno não pode ser usada contra Lula, significa uma coisa: o Supremo admite que a eleição de 2018 foi ilegítima", escreveu o estudioso no Facebook.

 

No âmbito da ação envolvendo a delação de Palocci, o ex-presidente é acusado de receber imóvel de R$ 12 milhões da Odebrecht para sediar o Instituto Lula.

O ministro da Corte Ricardo Lewandowski afirmou, no entanto, que, enquanto juiz da Lava Jato, Moro "violou o sistema acusatório, bem como as garantias constitucionais do contraditório e da ampla defesa".

O Supremo também concedeu à defesa do ex-presidente o direito de ter acesso aos sistemas de contabilidade utilizados pela Odebrecht (Drousys e MyWebDay).

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247