Marina: brasileiros não querem Temer na Presidência

Ex-senadora Marina Silva volta a defender a convocação de novas eleições porque, segundo ela, “para um governo ter legitimidade e credibilidade, é preciso que os partidos e os candidatos se reapresentem à sociedade”; "Os atalhos nem sempre nos levam para os melhores lugares. Às vezes, podem nos conduzir a abismos", diz; a ex-presidenciável afirma ainda que os brasileiros não querem Temer na cadeira de Dilma Rousseff: "Hoje 58% defendem que ele também seja alvo de um processo de impeachment. Apenas 1% dos eleitores se lembram dele para presidente", afirmou, citando pesquisas do Datafolha; ela também questiona o compromisso de Temer com o combate à corrupção, lembrando que o vice é aliado do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ)

Ex-senadora Marina Silva volta a defender a convocação de novas eleições porque, segundo ela, “para um governo ter legitimidade e credibilidade, é preciso que os partidos e os candidatos se reapresentem à sociedade”; "Os atalhos nem sempre nos levam para os melhores lugares. Às vezes, podem nos conduzir a abismos", diz; a ex-presidenciável afirma ainda que os brasileiros não querem Temer na cadeira de Dilma Rousseff: "Hoje 58% defendem que ele também seja alvo de um processo de impeachment. Apenas 1% dos eleitores se lembram dele para presidente", afirmou, citando pesquisas do Datafolha; ela também questiona o compromisso de Temer com o combate à corrupção, lembrando que o vice é aliado do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ)
Ex-senadora Marina Silva volta a defender a convocação de novas eleições porque, segundo ela, “para um governo ter legitimidade e credibilidade, é preciso que os partidos e os candidatos se reapresentem à sociedade”; "Os atalhos nem sempre nos levam para os melhores lugares. Às vezes, podem nos conduzir a abismos", diz; a ex-presidenciável afirma ainda que os brasileiros não querem Temer na cadeira de Dilma Rousseff: "Hoje 58% defendem que ele também seja alvo de um processo de impeachment. Apenas 1% dos eleitores se lembram dele para presidente", afirmou, citando pesquisas do Datafolha; ela também questiona o compromisso de Temer com o combate à corrupção, lembrando que o vice é aliado do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – A ex-senadora Marina Silva volta a defender novas eleições porque, segundo ela, “para um governo ter legitimidade e credibilidade, é preciso que os partidos e os candidatos se reapresentem à sociedade”. “Os atalhos nem sempre nos levam para os melhores lugares. Às vezes, podem nos conduzir a abismos", diz.

A ex-presidenciável afirma ainda que os brasileiros não querem Temer na cadeira de Dilma Rousseff: "Hoje 58% defendem que ele também seja alvo de um processo de impeachment. Apenas 1% dos eleitores se lembram dele para presidente", afirmou, citando pesquisas do Datafolha.

Em entrevista ao colunista Bernardo Mello Franco, ela também questiona o compromisso de Temer com o combate à corrupção. Lembra que o vice é aliado do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e não citou a Lava Jato no áudio em que já falava como novo presidente (leia aqui).

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247